O feriado desta sexta-feira (1º) movimentou os principais destinos turísticos brasileiros. O Pará atraiu cerca de 31 mil viajantes e registrou uma movimentação econômica extra de R$ 36,7 milhões, de acordo com projeção feita pelo Ministério do Turismo.

“Os feriados são uma oportunidade para o setor gerar negócios, empregos e renda para as cidades. E também uma chance para o turista conhecer novos destinos no seu próprio país”, afirma o ministro do Turismo, Henrique Alves (foto). “Importante ressaltar que as nossas estimativas podem ser superadas com um trabalho intenso de promoção do estados e municípios”, completa Alves.

O impacto econômico dos seis feriados nacionais no Pará é estimado em R$ 265,1 milhões. As folgas prolongadas - geradas pelo calendário de 2015 - vão motivar 223,5 mil viagens para o estado, com destaque para o feriado de 12 de outubro, que deverá registrar a maior movimentação financeira (R$ 48,9 milhões) e de viagens (41,3 mil).

Na Região Norte, o impacto econômico dos seis feriados no turismo é estimado em R$ 988 milhões. Os destinos turísticos dos sete estados da região devem receber 819 mil viagens nos feriados. O Ministério do Turismo considerou as datas de 21 de abril (Tiradentes, terça-feira), 1º de maio (Dia do Trabalho, sexta-feira), 4 de junho (Corpus Christi, quinta-feira), 7 de setembro (Independência do Brasil, segunda-feira), 12 de outubro (Dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, segunda-feira) e 2 de novembro (Finados, segunda-feira).

Foram excluídos o Carnaval, a Semana Santa, o Natal e o Réveillon, feriados estendidos, porém previstos todos os anos. A movimentação financeira no Brasil com esses feriados será de R$ 18,66 bilhões, com um acréscimo de 10,9 milhões de viagens domésticas. O gasto médio previsto no conjunto de viagens será de R$ 1.712,87. O levantamento foi feito pelo Ministério do Turismo em parceria com a Fundação Getulio Vargas.

 

Há uma grande possibilidade de que o Pará venha a ter mais uma plataforma logística integrada no Estado para o escoamento de grãos. Isso deve ocorrer graças a parceria da Odrebrecht TransPort com a LOGZ Logística Brasil, da BRZ, que estudam a implantação de uma plataforma multifuncional para transporte de grãos que terá estrutura para também transportar outros tipos de produtos.

O empreendimento, denominado de Projeto Mississipi, prevê investimento de R$ 1,2 bilhão. A previsão para início das obras de construção civil é para o segundo semestre de 2017.

Durante encontro no Palácio do Governo, com o próprio governador Simão Jatene, Rodrigo Veloso, diretor de investimento da Odebrecht TransPort, explicou que o Projeto Mississipi pretende criar um corredor logístico no Pará, interligando o estado do Mato Grosso ao município de Abaetetuba, onde será construído um terminal flutuante com capacidade para armazenar 150 mil toneladas de grãos. O projeto inclui, ainda, a construção de uma Estação de Transbordo de Cargas (ETC) na localidade Santarenzinho, no município de Rurópolis.

“Esse é o nosso primeiro negócio na Amazônia e estamos bastante confiantes. É um modelo que pode alavancar os negócios da navegação e a logística aqui no Pará, além de incentivar outros negócios e outras cadeias produtivas aqui”, destacou Rodrigo Veloso, diretor de investimento da Odebrecht TransPort.

Por sua vez, o governador Simão Jatene afirmou que o governo tem interesse em projetos dessa natureza. Disse também que esse é um bom momento para instalação de empresas que tenham a área de logística como expertise.

“Nós estamos vivendo uma nova corrida rumo ao Norte e o Pará se destaca, pois somos o porto mais perto dos Estados Unidos e Europa, por exemplo. Também temos interesse em trazer empresas de fora para agregar valor ao que está sendo produzido aqui”, reiterou Jatene. (Com informações da Agência Pará)

 

Considerado o maior evento da cadeia sidero-metalúrgica no Brasil, o Congresso Brasileiro do Aço terá uma novidade em sua 26ª edição, que acontecerá de 12 a 14 de julho, em São Paulo: o Espaço Conhecimento. A área, com capacidade para 100 pessoas, será o local onde os expositores da Expoaço, feira de negócios realizada paralela ao Congresso, poderão oferecer palestras gratuitas para os visitantes.

Entre os temas já definidos para o evento, destacam-se "Impactos da Crise de Água - Caminhos e Soluções" e "A Cadeia Produtiva como Motor da Reindustrialização". A SINOBRAS é uma das participantes da Expoaço e a Diretoria da empresa já confirmou presença no congresso.

As inscrições para as palestras, que terão duração de 45 minutos cada uma, devem ser feitas no site do evento (www.acobrasil.org.br/congresso2015 ). No final do processo de preenchimento o interessado pode selecionar até duas palestras para assistir. Na última edição, mais de 3.500 pessoas circularam pelos estandes, com mais de 45 expositores entre empresas e entidades de classe.

Programação de palestras no Espaço Conhecimento:

13 de julho

11h - Paulo Silva Sobrinho - ICZ - A Galvanização a Fogo Enaltecendo as Qualidades do Aço

12h - Rogério Ruiz - Jenike & Johanson - Método analítico para evitar ou resolver problemas onerosos de entupimento de chutes e silos de minérios e outros sólidos a granel

13h - Edson Kater - Odebrecht - Construção Predial em Estrutura Metálica

14h - Daniele Pestelli - Sicetel - A Cadeia Produtiva como Motor da Reindustrialização

15h - Patricia Boson - FIEMG - Impactos da Crise de Água - Caminhos e Soluções

16h - Márcio Sequeira - Engenheiro - Modelo Estrutural Mola - Uma nova maneira de estudar e ensinar o comportamento de estruturas.

14 de julho

10h - Philippe Blostein - Air Liquide - Soluções de redução de custos para a indústria siderúrgica

11h - Roberto Inaba - Arquiteto - Sustentabilidade da construção em aço

 

Confira as vagas de emprego divulgadas pelo Sine/Marabá, que agora passa a se chamar Casa do Trabalhador. A instituilção também mudou de endereço está funcionando na Travessa Carlos Leitão, 290, entre a Avenida Antônio Maia e a Rua Sete de Junho, na Marabá Pioneira. Interessados nas vagas de emprega devem comparecer no endereço, portando currículo e os seguintes documentos originais: Carteira de Trabalho, RG, CPF, Comprovante de Endereço. O atendimento na Casa do Trabalhador é feito por meio de senhas, de segunda a sexta-feira, das 8 às 14 horas. Mais informações pelos telefones (94) 3322-4586 e 3322-2731.

 

01        ASSISTENTE DE VENDAS – Ensino médio completo, com ou sem experiência em vendas.           MAS–FEM            01

02        ASSISTENTE DE VENDAS – Ensino médio completo, com ou sem experiência em vendas.           MAS–FEM            01

03        AUXILIAR ADMINISTRATIVO – PCD (PESSOA COM DEFICIÊNCIA) – Ensino médio completo, com ou sem experiência, informática avançada, apresentar laudo médico.      MAS    01

04        AUXILIAR DE DEPARTAMENTO DE PESSOAL – Nível médio ou superior, com experiência na CTPS, possuir moto ou carro, morar no Núcleo Nova Marabá.     FEM     01

05        AUXILIAR DE DEPÓSITO – Ensino fundamental, PCD (PESSOAS COM DEFICIÊNCIA), morar na Cidade Nova.            MAS    01

06        AUXILIAR DE MECÂNICO DE AUTOS – Ensino fundamental, com experiência na CTPS como Auxiliar de Serviços Gerais, comparecer na empresa no dia 04/05/2015.       MAS    01

07        BALCONISTA – Ensino médio completo, domínio de informática Pacote Office, experiência em vendas de materiais de construção, possuir CNH “AB” e carro.          MAS    01

08        COSTUREIRA – Possuir conhecimento de costura.   MAS–FEM       02

09        CHURRASQUEIRO – Possuir conhecimento em trabalho como churrasqueiro.     MAS    01

10        EDITOR DE TV e VÍDEO – Ensino médio completo, experiência em criação e edição de vídeo, informática básica, designer gráfico.       MAS    01

11        INSTALADOR DE SISTEMAS ELETRÔNICOS DE SEGURANÇA – Ensino médio completo, conhecimento em instalação de câmara e cercas elétricas.     MAS    01

12        EMPREGADA DOMÉSTICA NOS SERVIÇOS GERAIS – Com referência de trabalhos anteriores.   FEM     01

13        EMPREGADA DOMÉSTICA NOS SERVIÇOS GERAIS – Com referência de trabalhos anteriores, morar no Núcleo Nova Marabá.            FEM     01

14        LANTERNEIRO DE AUTOMÓVEIS (REPARAÇÃO) – Experiência na CTPS, possuir veículo, disponibilidade de horário.           MAS    01

15        LAVADOR DE ROUPA – Morar no Núcleo Cidade Nova       FEM     02

16        MANICURE E PEDICURE – Com experiência ou curso comprovado.          FEM     02

17        MARCENEIRO DE MÓVEIS – Com experiência na função.  MAS    02

18        MECÂNICO DE CAMINHÃO – Com experiência na CTPS, possuir conhecimento na área de elétrica, para trabalhar em Altamira na obra de Belo Monte.      MAS    01

19        OFICIAL DE SERVIÇOS DIVERSOS – Ensino fundamental, experiência em fábrica de colchões, conhecimento de máquinas na fabricação de colchões.      MAS    01

20        PASSADOR DE ROUPAS – Ensino fundamental completo; morar na Cidade Nova; idade entre 25 e 40 anos.            FEM     01

21        PINTOR DE CARROS – Ensino fundamental, com experiência, que more no Núcleo Nova Marabá.        MAS            01

22        PINTOR DE VEÍCULO – Experiência na CTPS; possuir veículo próprio; disponibilidade de horário.          MAS            01

23        POLIDOR DE VEÍCULO – Experiência na CTPS, possuir veículo próprio, disponibilidade de horário.       MAS            01

24        REPRESENTANTE COMERCIAL – Ensino médio completo, trabalhar com vendas de produtos alimentícios industrializados, com ou sem experiência, possuir carro ou moto.            MAS–FEM       01

25        SOLDADOR – Ensino Médio completo, com experiência na CTPS, comparecer na empresa no dia 04/05/2015.    MAS    02

26        VENDEDOR – Ensino médio completo, experiência em vendas, na CTPS. MAS    01

27        VENDEDOR PRACISTA – Ensino médio completo, com experiência em vendas.   MAS–FEM       01

28        VETERINÁRIO – Ensino superior completo, experiência na função, disponibilidade para realizar viagens, veículo próprio. Deixar currículo no SINE.

 

Em 2014, a Fundação Vale impulsionou sua contribuição para o desenvolvimento territorial das áreas de influência da Vale, dando continuidade a iniciativas com base no conceito pioneiro de Parceria Social Público-Privada (PSPP), que busca a união de esforços do poder público, setor privado e da sociedade civil.  De acordo com os dados do novo Relatório de Sustentabilidade da Vale, é possível destacar a concretização de novas parcerias e investimentos sociais para o fortalecimento de políticas públicas em Canaã dos Carajás, no Sudeste do Pará, entre outros territórios.

"A ação coletiva aumenta a capacidade dos governos locais para aproveitar suas próprias capacidades de acessar, gerenciar e captar recursos públicos, de modo que possam atender às necessidades mais essenciais de seus territórios. Um exemplo é o projeto-piloto de desenvolvimento urbano de Canaã dos Carajás", explica Vania Somavilla, diretora executiva de Sustentabilidade da Vale.

Localizado na área de influência direta do Projeto Ferro Carajás S11D, o maior projeto de minério de ferro em construção no mundo, o município de Canaã dos Carajás vive um momento de crescimento urbano acelerado que gera, ao mesmo tempo, oportunidades de desenvolvimento e desafios socioeconômicos significativos, entre eles educação, saúde e desenvolvimento urbano.

Em 2014, em Canaã dos Carajás, foi acordada cooperação técnica com o Ministério da Cidades para atuação nas frentes de habitação, saneamento, regularização fundiária e mobilidade urbana. Algumas das iniciativas dessa cooperação foram cursos regionalizados sobre Política e Gestão dos Serviços de Saneamento Básico.  O material desenvolvido foi adaptado para ser aplicado como ensino à distância e está disponível no Portal Capacidades, do Ministério das Cidades, ampliando sua aplicação para outros municípios brasileiros.

Outro exemplo de articulação em Canaã é o apoio para a revisão do Plano Diretor do município e desenvolvimento de projeto-piloto de regularização fundiária, com o apoio da Universidade Federal do Pará (UFPA). Com esse apoio, é favorecido o desenvolvimento da cidade com mais qualidade de vida para a população.

Para apoiar os serviços de saúde no município, foi fechado acordo entre a Fundação Vale e o Ministério da Saúde para capacitação dos profissionais da área e para instrumentalização de todas as Unidades Básicas de Saúde locais (UBS) com equipamentos necessários ao atendimento adequado à comunidade.

Outros destaques são a participação no Pacto Pela Educação no Pará, que tem como objetivo aumentar em 30% o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no Estado nos próximos cinco anos e a cooperação com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República para a implantação de um modelo referencial de Conselho Tutelar.

"As diversas parcerias articuladas para esse e outros territórios incentivam a melhoria gradual de indicadores de desenvolvimento humano, estimulando o estabelecimento de prosperidade sustentável", finaliza Vânia Somavilla.

Transparência

A Vale manteve, pelo sexto ano consecutivo, o nível de aplicação A+ e apresenta seu desempenho nas dimensões econômica, ambiental e social, seguindo a metodologia da Global Reporting Initiative (GRI). Com base no resultado do novo processo de materialidade conduzido pela empresa, no Relatório de Sustentabilidade 2014, a Vale reportou 57 indicadores, incluindo os indicadores do Suplemento Setorial de Mineração e Metais, com o relato dos itens de perfil e dados sobre gestão.

O documento passou por verificação externa independente e também apresenta o progresso na aplicação dos princípios do Pacto Global das Nações Unidas, do qual a Vale é signatária desde 2007.

"Para nós, transparência é prioridade, portanto é um grande orgulho mantermos o nível de aplicação A+ da GRI por seis anos consecutivos. Isso demonstra o comprometimento e o envolvimento da Vale nas questões que permeiam a sustentabilidade em cada um dos seus processos", afirma Gleuza Jesué, gerente executiva de Meio Ambiente da Vale.