A Correias Mercúrio, que em mais de 70 anos de existência se consolidou como a principal fabricante de correias transportadoras do mercado brasileiro, anuncia um marco histórico de sua trajetória: o início das operações de sua segunda fábrica, um investimento da ordem de R$ 100 milhões. A unidade, instalada no Distrito Industrial de Marabá (PA), é a primeira a produzir correias transportadoras no Norte do país.

A nova planta, que aguarda a concessão das licenças de funcionamento para operar em fase de testes, vai abastecer o Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. Vale destacar que as demandas destas regiões, até então, eram supridas pela fábrica da Correias Mercúrio em Jundiaí, no interior de São Paulo, a maior do país em seu segmento. Alterar o modelo preexistente demandou muito planejamento e um criterioso cronograma honrado pela liderança da companhia.

“Uma realização deste porte só se torna possível porque a empresa é comprometida com seus objetivos estratégicos e segue com afinco o plano de crescimento de longo prazo. Os desafios são inerentes a projetos como este, mas graças ao profissionalismo de todos os envolvidos conseguimos cumprir com sucesso o cronograma de trabalho”, avalia a CEO da Correias Mercúrio, Cristina Kawall. “A Unidade Mercúrio Marabá é peça fundamental do nosso plano de crescimento. Com ela, damos um passo importante para tornar o Brasil autossuficiente na produção de correias transportadoras, uma conquista que nos enche de orgulho”, completa a CEO.

O comprometimento da empresa para o desenvolvimento da indústria nacional é evidenciado com o anúncio de uma fábrica totalmente concebida dentro do modelo *lean manufacturing, *que apresenta os mais avançados conceitos e as melhores práticas produtivas, bem como estratégias de produção inovadoras para resultados de alto desempenho.

Os esforços para operar presencialmente na região Norte do Brasil, gerando postos de trabalho diretos e indiretos e priorizando a rede de fornecedores locais, confirmam o compromisso da Correias Mercúrio com o fomento econômico e o desenvolvimento de Marabá. A presença da empresa em Marabá confere maior celeridade no atendimento às indústrias da região. “Estamos comprometidos com o desenvolvimento das regiões onde atuamos, e tivemos a preocupação de investir na formação de mão de obra em Marabá. Para tanto, criamos, em parceria com o SENAI, um curso totalmente gratuito de tecnologia da borracha, inédito na cidade”, completa Kawall.

O Brasil abriga o maior mercado consumidor de correias transportadoras da América do Sul. Elas desempenham papel fundamental em setores de base como mineração, siderurgia e agronegócio. “É um marco de nossa história e temos de agradecer o comprometimento do Governo Municipal de Marabá e Governo Estadual do Pará desde o início do projeto”, destaca. “Devemos mencionar, também, o importante apoio dos fornecedores locais e entidades civis”, retoma a executiva.

A Correias Mercúrio é líder do mercado brasileiro de correias transportadoras, além de ser a maior produtora de correias de cabo de aço da América do Sul. Os produtos são projetados e fabricados sob medida para as necessidades de cada cliente. Com a inauguração da nova fábrica em Marabá, a unidade de Jundiaí vai direcionar parte de sua produção também ao mercado internacional, agregando agilidade e maior escoamento da produção da unidade paulista. A companhia já conta com escritório próprio também em Santiago, no Chile, com equipe de profissionais do próprio país, além de um Centro de Distribuição em Jundiaí.

Sobre a Correias Mercúrio – *Fundada em 1945, a Correias Mercúrio é uma empresa 100% brasileira, sediada em Jundiaí, São Paulo, e com uma planta fabril também em Marabá (PA). Com atuação em mais de 40 segmentos distintos da indústria, a empresa investe em tecnologia de ponta para projetar, desenvolver e fabricar correias transportadoras. A Correias Mercúrio é líder no mercado brasileiro de correias transportadoras, com um faturamento anual de cerca de R$ 300 milhões. Conta com um quadro de mais de 500 funcionários; é a maior fábrica de correias transportadoras do Brasil e a maior fabricante de correias de cabo de aço da América do Sul.

 

 

Informe Publicitário

 

 

Acordar cedo, preparar lanches e ir para próximo do trilho do trem da Estrada de Ferro Carajás (EFC) para vender bolos, salgados e sucos. Assim começava mais um dia para Elvira da Costa, conhecida como Dona Moça. Faça chuva ou sol, há 30 anos era essa a rotina para esta moradora da Vila Itainópolis, em Marabá, onde vivem cerca de 2000 habitantes.

Dona Moça se mudou para a Vila Itainópolis quando a linha de ferro ainda estava em construção. Desde então, sempre trabalhou vendendo alimentos no local, para ajudar no sustento de sua casa. A tradição da venda de refeições às margens do trem passou por 3 gerações da família. As filhas e a neta de Dona Moça seguiram o caminho da matriarca e enfrentaram os desafios diários de acordar de madrugada para fazer o preparo dos alimentos e percorrer um longo caminho até os trilhos para conseguir uma renda complementar. Itens como remédios e roupas eram comprados com o dinheiro arrecadado.

Há mais de um ano, Dona Moça não passa mais horas embaixo do sol quente para faturar a renda com a qual sustenta a família. Ela e as outras pessoas que vendiam alimentos às proximidades da Estrada de Ferro Carajás passaram a integrar o Programa de Apoio à Geração e Incremento de Renda – AGIR.

Desenvolvido pela Fundação Vale, em parceria com o Instituto de Socioeconomia Solidária e com o apoio da Vale, o programa buscou desenvolver alternativas de geração de renda para as pessoas que tinham como negócio o comércio informal de alimentos nos pontos de parada da ferrovia.

O programa oferece aos participantes apoio em infraestrutura, maquinário e também acompanhamento técnico em toda a gestão integrada dos novos negócios (produção, venda, compras e tesouraria), além de cursos de qualificação. No caso de Marabá, o Agir estimula o negócio social Boleiras de Itainópolis, com a produção de bolos, cupcakes, pães e biscoitos para a comunidade local e comércios vizinhos.

“Minha vida melhorou e eu espero em Deus que melhore ainda mais”, comemora Dona Moça. Ela e as outras pessoas envolvidas no programa integram a Associação das Boleiras da Vila Itainópolis. Hoje, a associação tem uma estrutura adequada para a produção e venda dos alimentos. E o melhor, com todas as vendedoras formalizadas, com CNPJ e tudo mais.  

O Pará somou 59.613 veículos financiados no primeiro semestre do ano, queda de 20,6% em relação ao mesmo período de 2015. Com isso, o estado manteve a liderança no volume de financiamentos de veículos no Norte. Os dados levam em consideração automóveis leves, motos e pesados.

O levantamento é da Unidade de Financiamentos da Cetip, que opera o maior banco de dados privado de informações sobre financiamentos de veículos do país, o Sistema Nacional de Gravames (SNG).

As vendas a crédito de motos totalizaram 29.277 unidades nos seis primeiros meses do ano, colocando o estado na terceira posição do ranking nacional de financiamentos de motos, atrás de São Paulo e Minas Gerais.

A região Norte acumulou 136.293 financiamentos de veículos no primeiro semestre do ano, retração de 20,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Deste total, os automóveis leves foram responsáveis por 77.612 das operações.

O total de veículos financiados no Brasil no primeiro semestre do ano somaram 2.258.655 unidades, entre automóveis leves, motocicletas, pesados e outros, queda de 16,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Desse total, foram vendidos a crédito 879.133 veículos novos e 1.379.522 usados.

O SNG é uma base privada de abrangência nacional que reúne as informações sobre restrições financeiras de veículos dados como garantia em operações de concessão de crédito. Essa base é consultada e atualizada em tempo real pelas instituições financeiras.

O Sicredi Mobi ganha versão atualizada e oferece aos associados a possibilidade de acesso a informações da conta também por meio do Apple Watch. Lançado em 2013, o aplicativo para smartphones e tablets do Sicredi foi disponibilizado como uma opção para o associado realizar suas transações bancárias remotamente. Com o Apple Watch, a vantagem é que os usuários do gadget da Apple poderão consultar extrato, saldo e lançamentos futuros.

A iniciativa está alinhada ao Planejamento Estratégico 2016-2020, que incentiva o uso e aprimoramento dos canais digitais do Sicredi. Os associados que já utilizam o aplicativo no sistema iOS, poderão aproveitar a novidade, que ainda é disponibilizada por poucas instituições financeiras. “O nosso objetivo é levar o que há de mais moderno e seguro. Além disso, o aprimoramento de canais de relacionamento que facilitem a vida dos associados e ofereçam soluções inteligentes mostra o compromisso do Sicredi com a inovação e excelência no atendimento”, afirma Romeo Balzan, diretor de produtos e negócios do Banco Cooperativo Sicredi.

(Fonte: Sicredi)

Recentemente o Conjove - Conselho de Jovens Empresários de Marabá - realizou duas Visitas Empresariais a dois projetos da Mineradora Vale. Primeiro foi realizada a Visita Empresarial no projeto de minério de ferro, S11D, em Canaã dos Carajás, após a Visita, a comitiva foi recebida pelo Presidente em exercício da Associação Comercial de Canaã dos Carajás - Aciacca Bruno de Carvalho, o Presidente licenciado Anderson Mendes, acompanhou a comitiva no S11D.

Depois foi a vez da comitiva conhecer o projeto de cobre, Salobo, no território de Marabá e com o acesso via Parauapebas, na oportunidade foram conhecidas as inúmeras operações do concentrado de Cobre extraídos e consequentemente a comercialização desse minério, sendo importante fonte de arrecadação através dos royalties, para a Prefeitura de Marabá, pois o projeto está em território marabaense.

A Visita Empresarial é um dos "negócios" do Conselho de Jovens Empresários, entidade ligada a ACIM, para Empresários com até 40 anos de idade.

A comitiva com mais de 25 pessoas de Marabá, foi liderada pelo Presidente do Conjove, Caetano Reis Neto, com a participação de associados da ACIM, do gerente regional do Sebrae, Delzimar Braga, da Diretora do SENAI Marabá, Carliane Saraiva, da Redes/Fiepa, Danielle Ribeiro e Quelma Chaves, do Sest/Senat de Marabá, a coordenadora Ionã da Silva, e da Secretaria Municipal de Industria, Comercio e Mineração de Marabá - SICOM, o Secretário Municipal e Diretor da ACIM, Marcelo Almeida Araujo e seu Assessor João Antonio Soares.