A 7ª edição em Marabá terá o tema “Chega de Mão Grande”, projeto que visa diversas ações no mês de maio. Objetivo é levar a população a refletir sobre o impacto da corrupção no dia a dia e a importância do retorno dos impostos. Realizado em Marabá e simultaneamente em mais de 100 cidades brasileiras nos dias 25, 26 e 27 deste mês, o evento tem com proposta informar a população sobre a alta carga tributária que incide em produtos e serviços no país. O 7º Feirão do Imposto terá lançamento nesta quinta (18), às 18h, na sede da ACIM – Associação Comercial e Industrial de Marabá.

Caetano Candido dos Reis Neto, presidente do Conselho de Jovens Empresários de Marabá (CONJOVE), convida toda a sociedade, as entidades do comércio e as instituições parceiras do Conselho para esse lançamento na ACIM. Ele enfatiza que o Feirão do Imposto já é uma ação em Marabá com reconhecimento nacional, fruto do envolvimento dos Jovens Empresários e de Empresas que acreditam e apoiam o CONJOVE, nas ações sociais, de cidadania fiscal ou na comercialização de produtos sem impostos.

Há quatro anos o CONJOVE realizada um dos maiores eventos em volume de negociações e empresas participantes. O Feirão do Imposto é uma marca registrada da CONAJE – Confederação Nacional dos Jovens Empresários – e dos inúmeros movimentos jovens associativistas do país, que não medem esforços para disseminar informações tributárias de forma simplificada à população e questionar a aplicação destes recursos.

Neste ano, o Feirão do Imposto é realizado pela CONAJE, em parceria com os movimentos de jovens empreendedores e empresários nos estados e municípios, com o Ministério Público Federal – MPF e as 10 medidas contra a corrupção, com o Movimento Brasil Eficiente – BEM, com a Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil – CACB e com Observatório Social do Brasil – OSB.

Situação no Brasil

Segundo a Organização de Transparência Internacional, o Brasil piorou três posições no ranking sobre a percepção da corrupção no mundo em 2015, ficando na 79ª posição entre 176 países, ao lado de China, Índia e Bielorussia. O estudo leva em conta outros 13 levantamentos relacionados à corrupção realizados por instituições como Banco Mundial, World Justice Project e Global Insight.

A corrupção interfere no retorno dos impostos em benefícios para a sociedade, porque retira investimentos em áreas essenciais como saúde, segurança e educação. De acordo com a Organização das Nações Unidas, estima-se que, aproximadamente, R$ 200 bilhões são desviados no Brasil, por ano. Este valor significa três vezes o orçamento da saúde ou educação, e cinco vezes o orçamento da segurança pública.

A corrupção também afeta a competitividade das empresas, sendo que o Brasil perdeu mais seis posições no ranking das economias mais competitivas do mundo, caindo para a 81ª colocação em 2016. O ranking avalia 138 países e foi divulgado pelo Fórum Econômico Mundial, em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC). O levantamento é um termômetro do nível de produtividade e das condições oferecidas pelos países para gerar oportunidades e para que as empresas possam obter sucesso. Além disso, a corrupção atrapalha o desenvolvimento econômico e social. Pesquisas revelam que quanto maior o índice de corrupção, maior será a desigualdade e menor será o desenvolvimento.

Missão do Feirão

 

Esta ação é desenvolvida para educar a população a respeito do quanto se paga em impostos. A partir dessa mobilização, o Feirão se tornou uma ação muito importante para Marabá, com o foco na conscientização de quanto se paga em impostos e no acompanhamento da destinação dos tributos recolhidos.

Desde ontem (12), a terceira parcela do FGTS inativo começou a ser liberada para 7,6 milhões de brasileiros. Esse dinheirinho a mais no bolso do trabalhador lhe dará poder de compra para dar um presentinho para sua mamãe neste domingo (14), Dia das Mães. Por conta disso, a expectativa dos lojistas é que as vendas relativas à data alcancem perto de 6% de aumento em relação a 2016.

A expectativa é do diretor-técnico do Sindicom - Sindicato do Comércio de Marabá -, Raimundo Gomes Neto. Ele disse também que os servidores municipais estão recebendo os salários em dia e isso também vai contribuir para dar aquela turbinada nas vendas relativas à data, afinal a prefeitura injeta cerca de R$ 20 milhões mensais.

 

Como a tendência é que as genitoras sejam presenteadas com equipamentos eletrônicos, não há dúvidas de que o shopping Pátio Marabá estará lotado neste sábado, sobretudo a partir das 13 horas. Por isso uma dica é tentar comprar o presente da mamãe o quanto antes.

Para atender as demandas do mercado consumidor do sudeste do Pará, a Raízen inaugurou as atividades do terminal de distribuição de combustíveis em Marabá, no Pará. A nova operação, que conta com o apoio da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (CODEC), disponibilizará o portfólio de produtos diferenciados da marca Shell e garantirá importante infraestrutura para o desenvolvimento da região.

O terminal de Marabá está inserido em um plano articulado de conexão ferroviária que está ativo desde 2011 e atende às novas fronteiras agrícolas e à expansão da mineração no Norte e Nordeste. Por meio de projetos de infraestrutura já ativos em Açailândia-MA e Palmas-TO, além de São Luís-MA, a Raízen tem contribuído para o crescimento regional. Só no novo terminal serão aplicados – durante todo o processo de instalação e operação – cerca de R$ 100 milhões.

“O investimento  em Marabá faz parte de um plano estratégico de longo prazo da Raízen de investir na interiorização de combustíveis por modais mais eficientes: no caso de Marabá, a ferrovia de Carajás foi duplicada e liga este projeto que estamos inaugurando a outro em construção, em São Luís-MA, o que propicia importante nível de serviço para nossos parceiros e atrai novos revendedores Shell na região”, afirma Nilton Gabardo, diretor de Desenvolvimento de Novos Negócios e Infraestrutura da Raízen.

O investimento em Marabá permite que a empresa conquiste autonomia no suprimento de combustíveis para a região, que abrange importantes polos industriais, agrícolas e comerciais do Norte do Brasil. A base receberá derivados de São Luís via modal ferroviário da VLI e biocombustíveis das regiões produtoras através do modal rodoviário.  

Qualidade dos combustíveis Shell para a região

Marabá é uma região importante para a estratégia operacional da Raízen e para o plano de expansão que legitima o desenvolvimento da região Norte do país. O Terminal de Distribuição de Combustíveis em Marabá movimentará cerca de 500 milhões de litros de combustíveis por ano, suprindo a região com a qualidade do portfolio Shell V-Power e Shell Evolux.

A operação implementará uma nova e moderna estrutura logística que conta com inovações tecnológicas de ponta para 100% de suas atividades. Marabá suprirá a demanda por infraestrutura que favorece a otimização de carregamento de combustíveis, melhor competitividade de custos e garantia de autonomia de distribuição de produtos com a qualidade da marca Shell no local.

“O novo Terminal é estratégico para a Raízen. Marabá tem localização privilegiada para distribuição, envolvida por importante rodovias – Belém-Brasília, Transamazônica e Marabá-Belém –, ferrovias e um aeroporto. A nova base levará o atendimento diferenciado e a reconhecida qualidade e diversificação do portfólio de produtos e serviços da marca Shell, além de fortalecer seu papel de protagonista no abastecimento de combustíveis na região”, esclarece Frederico Santos, Diretor Comercial da Raízen.

O Aeroporto de Marabá também conta com operações de abastecimento de aeronaves da Shell. O Estado do Pará é favorecido ainda pela qualidade dos combustíveis da marca nos aeroportos da capital Belém, Itaituba, Júlio Cesar e Santarém.

 

 

Carrefour promete empregar 350 trabalhadores

No início do segundo semestre deste ano os grupos Líder e Carrefour devem inaugurar suas duas unidades em Marabá. Os empreendimentos erguidos nas margens da Rodovia Transamazônica (perímetro urbano da Nova Marabá) vão gerar juntos um pouco mais de mil empregos diretos. Localizado na altura da Folha 31, perto do quartel da Polícia Militar, o Grupo Líder tem previsão de gerar 680 empregos. Já o atacadão do Carrefour, situado na Folha 33, próximo ao Rio Itacaiúnas, deve gerar 350 postos diretos de trabalho.

 

Empreendimento do Grupo Líder deve gerar 680 empregos

Caetano Reis Neto, presidente do Conselho de Jovens Empresários de Marabá (Conjove), diz que sua expectativa como consumidor é pela maior variedade de opções, de possibilidades de compra.

Falando como empreendedor, Caetano vê algo extremamente positivo, já que o Líder está entre os maiores do País, e já vem trabalhando há mais de três anos na sua obra em Marabá, para possibilitar ao consumidor local empreendimentos como farmácia, ótica, home-center, magazan, mais 23 lojas disponibilizadas para qualquer empreendedor de Marabá ou de fora.

Já em relação ao Carrefour, Caetano lembra que se trata do segundo maior grupo supermercadista do planeta, por isso a implantação do empreendimento com a bandeira do atacadão é, para ele, algo fantástico, pois mostra a capacidade de mercado consumidor de Marabá e região.

Operações inéditas, Marabá no target

Por sua vez, o vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Marabá (Acim), Eugênio Alegretti, observa que o Atacadão do Carrefour constitui uma operação inédita de modelo de negócio na região, pois se trata de um grupo focado no preço baixo, com vendas à vista ou no cartão de débito.

Já o Líder, observa Eugênio Alegretti, dispõe de um supermercado e um home-center, além de disponibilizar 23 espaços para lojas, o que também caracteriza um empreendimento inédito.

Para ele, esses empreendimentos somados à Correias Mercúrio e ao terminal de abastecimento da Raízen, recentemente inaugurados, “mostram que Marabá está no target de investimentos dos grandes grupos”. E apesar do momento ruim da economia, Marabá começa a sair na frente na recuperação de postos de trabalho.

Ainda segundo Alegretti, grandes grupos - como estes que aportaram em Marabá -, antes de começarem a investir num local, analisam o mercado, com base na perspectiva de investimentos futuros e isso dá a esperança de que haverá mais notícias boas nos próximos anos.

Relação com os pequenos

Por outro lado, Raimundo Alves Neto, diretor do Sindicato do Comércio de Marabá (Sindicom), disse que, embora alguns pequenos empreendedores possam reclamar da concorrência devido à presença de grandes grupos empresariais na cidade, os grandes empreendimentos também dão vida aos pequenos. “Há espaço para todos”, resume Neto, acrescentando que o comerciante local também vai se modernizar e melhorar sua estrutura e atendimento.

“Esses grandes empreendimentos atendem geralmente a quem têm um veículo e compram em grandes quantidades, os que não estão nesse perfil continuam comprando nos bairros onde moram”, explica, acrescentando que os pequenos comerciantes desses bairros se tornam clientes desses grandes empreendimentos, o que acaba fortalecendo toda a cadeia.

 

(1) Home-center: Termo em inglês que remete a uma loja com todo tipo de opção para construção e manutenção da casa, reunindo quase tudo que o cliente precisa antes e depois de estar com a casa pronta.

(2) Target: Expressão também da língua inglesa que significa alvo, ou meta, objetivo e propósito.

 

(Texto: Chagas Filho)

 

(Fotos: Chagas Filho)

Marabá ganha nesta terça, dia 11, mais uma estrutura fundamental para o seu desenvolvimento: um terminal de distribuição de combustíveis da Raízen, uma das maiores empresas de energia do mundo e que trará para a região a reconhecida qualidade da marca Shell.

Um investimento estratégico de uma empresa que sabe da necessidade de apostar no Brasil mesmo em um momento desafiador como o que vivemos atualmente.

Marabá foi escolhida para abrigar a unidade por ser considerada um ponto estratégico no sudeste paraense e com localização privilegiada para distribuição envolvida por uma importante rede de rodovias, ferrovias e aeroporto,

A Raízen se destaca como uma das empresas de energia mais competitivas do mundo e uma das maiores em faturamento no Brasil, atuando em todas as etapas do processo: cultivo da cana, produção de açúcar, etanol e energia, comercialização, logística interna e de exportação, distribuição e varejo de combustíveis.

A companhia conta com cerca de 30 mil funcionários, que trabalham todos os dias para gerar soluções sustentáveis que contribuam para o desenvolvimento do país, como a produção de bioeletricidade e etanol de segunda geração a partir dos coprodutos da cana-de-açúcar.

Com 24 unidades produtoras, a Raízen produz cerca de 2,1 bilhões de litros de etanol por ano, 4,5 milhões de toneladas de açúcar e tem capacidade para gerar cerca de 940 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar.

A empresa também está presente em 66 bases de abastecimento em aeroportos, 67 terminais de distribuição de combustível e comercializa aproximadamente 25,2 bilhões de litros de combustíveis para os segmentos de transporte, indústria e varejo.

Conta com uma rede formada por mais de 5.900 postos de serviço com a marca Shell, responsáveis pela comercialização de combustíveis e mais de 950 lojas de conveniência Shell Select.

 

Além disso, a companhia mantém a Fundação Raízen, que busca estar próxima da comunidade, oferecendo qualificação profissional, educação e cidadania. Criada há mais de 14 anos, a Fundação Raízen possui seis núcleos no interior do Estado de São Paulo e um em Goiás e já beneficiou mais de 13 mil alunos e mais de 4 milhões de pessoas com ações realizadas desde 2012.