Julho é mês de férias, de visitar os amigos, familiares e de embarcar em uma boa viagem. Entre os cuidados com a preparação da viagem, muitos esquecem de checar o plano de celular, para evitar surpresas com cobranças adicionais. O diretor de Vendas da TIM Centro-Norte, Fábio Reis, preparou oito dicas para que todos possam aproveitar as viagens sem ter dores de cabeças futuras com a conta. Confira:

  1. Para economizar

Confirme se a linha tem o serviço de roaming ativo. Para passeios nacionais, a dica é acompanhar o consumo de dados e ficar atento a cobranças adicionais. Clientes dos planos controle e pós-pago da TIM não pagam roaming nacional, o que ajuda a economizar nas viagens. Para o exterior, confira as regras do roaming internacional, recomenda Fábio Reis.

  1. Roaming Internacional

A preocupação com o roaming é bastante frequente quando se trata de viagens internacionais. Antes de embarcar é possível consultar informações sobre cobertura e tarifas de voz e dados no exterior pelo app TIM viagens, para controlar gastos com roaming internacional.

  1. Acompanhar o consumo

Em viagens nacionais, é comum ficar mais conectado ao pacote de dados do que ao wi-fi. Por conta disso, para evitar atingir a franquia de dados do plano, é importante acompanhar o consumo e evitar uso desnecessários, que possam ocasionar o fim da internet no smartphone ou necessidade de contratação de um pacote adicional. Desabilitar a atualização automática de aplicativos, que consomem dados sem que o cliente perceba, é uma boa forma de economizar dados.

  1. Entretenimento consciente

Para evitar imprevistos, é preciso estar atento ao uso de dados para ouvir músicas ou jogos no smartphone. Seja em viagens internacionais ou nacionais com franquia de dados excedidas, o cliente deve dedicar um tempo para baixar as músicas antes da viagem, com o objetivo de ouvi-las no modo off-line (sem conexão com a internet), e evitar jogos que precisem realizar download durante o uso. O aplicativo TIMmusic by Deezer é uma excelente opção para ouvir músicas. Ele não desconta da franquia do pacote de dados em viagens nacionais e ainda oferece a opção de ouvir músicas salvas em modo off-line. Outra dica é o app grátis TIM Viagens para planejar e usar durante o passeio, ele apresenta os melhores roteiros, shows, festivais tradicionais, baladas, restaurantes da cidade que está visitando, além da opção de reservar hotéis e passagens.

  1. Aplicativos úteis

Existem aplicativos de compressão de dados, que permitem diminuir o tamanho de imagens e vídeos, ajudando no compartilhamento e postagem dos conteúdos. Há também ferramentas que permitem ao usuário identificar quando o roaming está em uso e admite o bloqueio de alguns aplicativos para que eles só funcionem com o Wi-Fi em uso.

  1. Ferramentas de localização off-line

Uma boa opção para quem quer utilizar mapas ou aplicativos para auxiliar na localização, mas não deseja gastar seu pacote de dados ou depender de wi-fi, são as ferramentas de localização e navegação que funcionam sem internet. Existem também plataformas que informam sobre linhas de metrô na Europa e Estados Unidos. Há opções, ainda, que fornecem localização geográfica detalhada, exigindo conexão apenas para download do mapa. O acesso não necessita de internet.

  1. Uso inteligente dos navegadores

Nem todos sabem, mas há navegadores em que é possível utilizar menos dados do que outros. Com menos megabytes, a navegação terá mais velocidade e economia na franquia de dados contratada. Alguns também permitem que suas páginas sejam carregadas em um local conectado e fiquem salvas para leitura off-line, sem necessitar usar o roaming ou carregá-las novamente.

  1. Gastar o mínimo possível

Se o objetivo for economizar e não houver necessidade de usar dados ou voz em viagens internacionais, o usuário deve manter o aparelho em modo avião durante o tempo que estiver no exterior. Se preferir limitar o uso apenas a ligações, deve desativar o roaming de dados do smartphone, função localizada nas configurações do celular.

 

A TIM divulga seu nono Relatório de Sustentabilidade – de acordo com as diretrizes da Global Reporting Initiatives (GRI) – e reporta importantes avanços em seus resultados operacionais, no cumprimento de metas e na evolução do seu compromisso com a sociedade por meio das iniciativas do Instituto TIM. O documento já está disponível no site de RI da empresa (http://ri.tim.com.br/).

Um destaque no período foi a mudança da sede da operadora no Rio de Janeiro. No novo endereço, a TIM passou a contar com uma infraestrutura mais eficiente e sustentável. O prédio possui certificado LEED Prata, o que garante, por exemplo, o uso racional dos recursos naturais e a adoção de tecnologias de baixo impacto ambiental. Em apenas seis meses, houve redução de 13% no consumo de energia e de 33% do consumo de água, além de queda das emissões diretas de gases de efeito estufa (GEE).

No âmbito social, o Instituto TIM continuou destacando-se com projetos educacionais e de tecnologia livre em todo o país, alcançando mais de 250 mil pessoas com suas iniciativas no ano passado. Desde a sua fundação, em 2013, o Instituto já realizou ações em quase 400 cidades, envolvendo 66 secretarias municipais e estaduais e três ministérios, o que beneficiou mais de 700 mil pessoas em todo o Brasil.

No Relatório, o presidente da TIM, Stefano De Angelis, ressalta que a operadora segue sólida, confiante e preparada para continuar liderando os principais movimentos do setor. Destaca ainda que a TIM continua sendo a única empresa do setor de telecomunicações listada no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo (B3) – que exige o nível máximo de governança corporativa – e também a que está há mais tempo na carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3, por nove anos consecutivos.

 

Além de ter uma carne saborosa e rica em proteínas, médicos brasileiros descobriram que a tilápia - um peixe de água doce e de rápida reprodução - pode ajudar no tratamento de queimaduras de segundo e terceiro grau. De acordo com os pesquisadores, a pele desse animal, quando aplicada sobre os ferimentos, reduz o tempo de cicatrização.

O cirurgião plástico do Instituto de Apoio ao Queimado, de Fortaleza, Edmar Maciel, um dos médicos envolvidos na pesquisa sobre esse método, garante que o procedimento é mais eficaz do que outros utilizados fora do país.

“Nós fizemos um estudo comparando a pele da tilápia com a pele humana e também com a pele de outros animais que se usa lá fora, como a pele de porco e a pele de rã. Além de a pele da tilápia ter muito mais quantidade de colágeno tipo 1, que é uma proteína importantíssima na cicatrização, também tem uma boa umidade, se assemelhando em muito com a pele humana. Além de que, o risco de transmissão de doenças do animais aquáticos é muito menor do que dos animais terrestres.”

Segundo o instituto, as queimaduras de segundo grau superficiais, por exemplo, levam em média 11 dias para cicatrizarem. Já com a pele do peixe, esse tempo reduz para cerca de um dia e meio.

Ainda de acordo com os pesquisadores, atualmente, no Brasil, as queimaduras locais são tratadas com a pomada sulfadiazina de prata, método que não é utilizado por outros países há muitos anos. Edmar Maciel explica como é feito o procedimento com a pele da tilápia.

 “A área queimada é lavada, a pele é colocada sobre a área queimada e depois são colocados gazes e atadura, para que essa pele fique bem aderida ao leito da ferida. Aí o paciente deve ficar com a área imobilizada, para que a pele possa ter essa função de aderir e bloquear a área queimada.”

Edmar Maciel informou ainda que essa é a primeira vez que o Brasil tem uma pele animal no tratamento das queimaduras. Além disso, é a primeira pele de animal aquático do mundo utilizada com esse objetivo. Os testes já estão em fase final e as pesquisas devem ser concluídas no início de 2018.

(Agência do Rádio)

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), aprovou o fim da multa para os condutores que não estiverem com carteira de habilitação e licenciamento anual no momento da abordagem policial. O Projeto agora seguirá para apreciação no Senado Federal, caso não haja recurso na Câmara dos Deputados, em Brasília.

De acordo com o texto, a isenção da multa será feita apenas caso o agente de trânsito possa obter as informações contidas nos documentos por meio de consulta aos bancos de dados oficiais. Na lei, também foi extinguida a possibilidade de apreensão do veículo, mediante a condição de estar em situação regular e ser possível a consulta das informações.

Pela regra atual, quem dirigir sem portar o licenciamento e a carteira de motorista poderá ser multado e ter o veículo retido até a apresentação dos documentos. A infração é considerada leve. Segundo a proposta, quando não for possível realizar a consulta on-line das informações do veículo ou do condutor, o auto de infração será cancelado caso o condutor apresente em até 30 dias, o documento ao órgão de trânsito responsável pela autuação.

Assim, o motorista não terá pontos computados em sua carteira referentes à infração. A comissão acompanhou o voto do relator, deputado João Campos (PRB-GO), pela constitucionalidade e juridicidade do texto. O colegiado também aprovou emenda da Comissão de Viação e Transportes para exigir a apresentação, pelo condutor, de algum documento de identificação oficial, a fim de ser beneficiado pela medida.

A vacina contra a gripe está disponível para toda a população. A medida só é válida durante este ano, devido à baixa adesão da população prioritária. Até o momento, cerca de 76% do público-alvo foi vacinado. Segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, a vacinação estará disponível até acabarem os estoques.

 “Como nós temos vacinas adquiridas, das 60 milhões de doses, nós ainda temos 10 milhões de doses em estoque, nós liberamos e quem chegar primeiro se vacina. Nós não vamos deixar a vacina prescrever porque o público que nós selecionamos não compareceu para a vacinação”.

O Amapá é o único estado que atingiu a meta, com mais de 95% do público-alvo vacinado.

Para saber mais acesse www.saude.gov.br

Página 1 de 4