Ao todo 18 grupos devem participar da caminhada neste sábado (7). O evento marca o inicio das atividades dos grupos de Divino Espírito Santo em Marabá, uma tradição católica que chegou a cidade pelos idos da década de 1940.

Anos atrás era comum presenciar a passagem dos foliões pelas ruas de Marabá, sempre carregando os símbolos do Divino; a bandeira vermelha com fitas, a caixa, o violão, o pandeiro e a imagem da pomba acima da bandeira além lógico da coroa, sempre muito bem enfeitada, que é carregada por uma das devotas do Divino.

Dona Raimunda Dias realiza a festa do Divino há mais de 70 anos, começou com os avôs em outro Estado e depois mudaram para Marabá e continuaram a festejar para ela ser devota do Divino é manter o pagamento de uma promessa de família.

Hoje os grupos de Divino estão em todos os bairros, mas a maior concentração dos grupos está no bairro da Liberdade, seguido da Velha Marabá e Nova Marabá, o objetivo da caminhada além de marcar o inicio dos festejos é uma forma de manter viva esta tradição.

A caminhada será realizada neste sábado a partir das 5 horas da tarde com concentração na Praça São Félix de Valóis na Velha Marabá os grupos seguirão pela Orla da cidade até a igreja do Divino de Dona Lúcia no bairro de Santa Rosa onde será realizada uma missa campal. (Victor Haor)

 

“Conhece-se a história de um povo pela sua cultura. Compreende-se a história de um povo pela sua cultura. A arte sempre foi e é uma das maiores armas para disseminar sementes, ideias e sentimentos.” O enunciado acima norteia a atividade artística e política denominada “Arte pela Democracia”, que acontece na tarde deste domingo (1º), a partir das 15 horas, na Toca do Manduquinha, na orla do Rio Tocantins, na Marabá Pioneira.

Movimento apartidário promovido por artistas locais, que militam em favor das minorias, o “Arte pela Democracia” pretende congregar exposição de fotos, apresentações musicais, teatrais e poesias em torno da situação política pela qual passa o País.

Segundo Jane Martins e Larisa Xavier, que integram a organização do evento, a ideia é que as apresentações artísticas sejam intercaladas por falas sobre a cena política, como forma de usar a arte como dispositivo que faça circular um discurso que busque a reflexão.

Na página do evento, na rede social, os organizadores observam que no contexto político em que se encontra o país, o movimento artístico de Marabá, nos seus mais variados segmentos, se reúne para juntos, em um ato totalmente apartidário, de resistência, de luta e de muita arte e intervenções, denunciar o que todos estão vivenciando.

(Chagas Filho)

Ocorre neste sábado (30), no prédio da Biblioteca Municipal Orlando Lima Lobo, situada na Marabá Pioneira, o lançamento da "Antologia 100 Poemas & Prosas por Marabá", um livro organizado pelos poetas, Airton Souza e Eliane Soares, e patrocinado pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult). A obra reúne textos artísticos escritos por mais de 60 literatos marabaenses.

Com esse evento, a Secult realiza o encerramento das comemorações dos 103 anos de Marabá.

Segundo os organizadores, todos vão viver uma noite de esplendor para a literatura local. "O livro é um projeto que existe há mais de três anos e possui gêneros variados. São contos, crônicas e poemas. Com certeza, é umas das antologias mais completas da região", afirma Souza.

Participam desse livro, Adão Almeida, Abilio Pacheco, Aldemira Aguiar, Apoliana Costa, Arlethe Ferreira, Adalberto Marcos, Cezamar Oliveira, Francisco Xavier Pereira Dos Santos, Joelthon Ribeiro, Lara Borges, Lívia R. Mesquita, Lusinete Bazerra, Marcos Mascarenhas, Valdir Araújo, Anderson Damasceno, Chagas Filho e Vânia Andrade.

Há ainda a presença de Ronaldo Giusti Abreu, Walquiria Gouveia, Glecia Sousa, Francisco DE Assis Santana Duarte, Francisca Cerqueira, Cley Araújo, Flaviano Biano, Clauber Martins, Weliton Moreira, Laercio Ribeiro, Evilangela Lima, Victor Haôr, Ademir Braz, Reunivan Tocatins, Rose Pinheiro, Fabiane Barbosa, Clei Souza, Cláudia Borges e outros nomes da literatura marabaense.

A publicação da "Antologia Cem Poemas e Prosas por Marabá" também ganhou destaque durante a reunião da Associação dos Escritores do Sul e Sudeste do Pará (AESSP), na semana passada.

Na ocasião, os presidentes da AESSP, Francisco Duarte e Francisca Cerqueira, parabenizaram a iniciativa da Secult e o projeto dos idealizadores, Airton Souza e Eliane Soares, que mais uma vez permite que a literatura do sul e sudeste se torne um monumento de arte. (Matéria extraída do Jornal Opinião)

 

Gravado na véspera do Natal de 1975, no Hammersmith Odeon em Londres, “Queen: A Night in Bohemia” chega ao Brasil e será exibido nos complexos da UCI Cinemas nos dias 5 e 10 de maio, às 21h. No Pará o show será exibido no UCI Shopping Bosque Grão-Pará. Além do show histórico, o material ainda reúne um documentário exclusivo com entrevistas, imagens de arquivo e performances inéditas do grupo. O público da UCI poderá escolher entre 18 salas para assistir às sessões com todo conforto e tecnologia característicos da rede. Os ingressos para “Queen: A Night in Bohemia” já estão à venda e podem ser adquiridos na internet, nas bilheterias, em aplicativos de celular e nas máquinas de autoatendimento disponíveis no hall dos cinemas.

Além dos sucessos “Killer Queen”, “Liar”, “Keep Yourself Alive” e “Now I’m Here”, os fãs do Queen que forem a uma das salas da UCI também vão se emocionar com uma entrevista inédita de Freddy Mercury e assistir à primeira entrevista da banda para televisão (1975), descoberta recentemente na Austrália. Ainda faz parte do material a versão original de “Bohemian Rhapsody” e performances nunca vistas das famosas apresentações no Hyde Park, em 1976 e do álbum “The Rainbow 74”.

Serviço:

Exibição do documentário “Queen: A Night in Bohemia”, 5 e 10 de maio, às 21h, no UCI Shopping Bosque Grão-Pará. Ingressos já estão à venda. Preço: R$ 40.

 

Na noite de quarta-feira (27), a Galeria de Arte Vitória Barros abriu sua mostra fotográfica anual: o Ver-A-Cidade de Marabá. Realizado desde 2010, o projeto está em sua 7ª edição e busca promover o olhar reflexivo dos transeuntes de Marabá às peculiaridades da cidade. Este ano, com o tema Gestos Urbanos, o Ver-A-Cidade nos convoca a observar os aspectos modeladores da urbanidade marabaense, afinal, como se dá a urbanidade na região sudeste do estado?

Além dos selecionados, a mostra terá a participação de fotógrafos convidados e uma sala especial sobre a Guerrilha do Araguaia, apresentada pelo artista visual Antônio Botelho, com a colaboração do cineasta Evandro Medeiros.

Aberta para visitação até o dia 11 de junho, a mostra fotográfica traz uma programação diversificada com exibição de filmes, espetáculo cênico, rodas de conversas, oficinas e atelier aberto para o público infanto-juvenil. Toda a programação tangencia temas como a cultura visual contemporânea, novas mídias, tecnologia e condições sociais da região amazônica.

Visitando a cidade, o artista visual Genison Oliveira, atualmente radicado em Portugal, participará da roda de conversa Fragmentos de Lisboa (18/05, às 19h), da qual traz à fotografia suas reflexões sobre arte e estética contemporânea. Outros nomes também figuram na programação: o professor Janailson Macêdo (História/Unifesspa), discutindo a Guerrilha do Araguaia; o jornalista Ulisses Pompeu, falando sobre Fotojornalismo; e a professora Ionete Moraes Lopes, com o espetáculo Morte e Vida Severina, fruto de sua pesquisa de mestrado sobre a obra de João Cabral de Melo Neto.

Na programação haverá um dia especial para educadores e interessados em geral, que utilizam as visitações a espaços culturais como instrumento pedagógico. O projeto Mediações Culturais, coordenado pelo professor Gil Vieira Costa (Artes Visuais/Unifesspa), propiciará um diálogo sobre exposições de arte como espaço para reflexões multidisciplinares, que auxiliam e potencializam o ensino, na manhã de sábado do dia 06 de maio.

A programação completa pode ser conferida nas páginas administradas pela Galeria de Arte Vitória Barros, em redes como facebook e blogspot.

 

Serviço: VII Mostra Fotográfica Ver-A-Cidade de Marabá

Abertura: 27 de abril às 19h

Visitação: 28 de abril a 11 de junho de 2016

Endereço: Av. Itacaiúnas, 1519, Novo Horizonte.

Para mais informações: 3324 1258