Quem acompanha o Futebol em Gramado Sintético de Marabá sabe que o The Cats e o Só Lapada são os melhores times da cidade nessa modalidade esportiva. Não é à toa que as duas equipes farão a final da 1ª Liga Marabá de Futebol em Gramado Sintético, que será definida em duas partidas.

A primeira final será realizada no dia 2 de maio, na Arena Marabá, na Folha 31, às 20h, tendo como mandante do Só Lapada; a segunda será na Academia Gol de Placa, na Folha 32, às 19h.

A 1ª Liga Marabá de Futebol em Gramado Sintético foi organizada pelos próprios desportistas (tendo à frente Thiago Mirim e Marquinhos Marabá) e contou com seis equipes divididas em dois grupos de três times, em jogos de ida e volta, pois cada equipe usou seu campo e seu horário para mandar os jogos.

Aliás, há que se destacar o alto nível das partidas, com atletas renomados do futebol amador de Marabá – tanto jovens quanto veteranos – e muitos ex-profissionais. Todos os times participantes se apresentaram na competição com jogadores de bom nível, uma prova de que o futebol marabaense ainda dá muitos frutos. (Chagas Filho)

Confira a campanha dos finalistas

THE CATS

1ª Fase: 4 vitórias

Semifinal: 1 derrota 6x5 e 1 vitória 7x3

Marcou: 33 gols

Sofreu: 16 gols

Artilheiros: Filipinho (8 gols) e Élson (5 gols)

SÓ LAPADA

1ª Fase: 3 vitórias e 1 empate

Semifinal: 1 empate (1x1) e 1 Vitória (7x5)

Marcou: 39 gols

Sofreu: 22 gols

Artilheiros: Dentinho (12 gols) e Natan (9 gols)

As inscrições da Corrida do Aço 2015 já iniciaram e seguem até o dia 26 de junho, dois dias antes da corrida, ou até que as inscrições estejam esgotadas. Quem quiser pode se inscrever na Academia Gol de Placa ou na loja Centauro, no shopping Pátio Marabá. Para os colaboradores da usina, o atendimento será dentro da SINOBRAS.

A taxa da inscrição é no valor de R$ 25,00 e dá direito ao kit do corredor que inclui uma camisa de corrida em tecido tecnológico, um chip e um número de peito. O percurso do evento será de 7 quilômetros, com largada e chegada na  Praça São Félix Valois, em frente à Orla de Marabá.

Poderão competir atletas da Comunidade e Colaboradores da SINOBRAS nas categorias feminina de 18 a 40 anos; masculina, de 18 a 40 anos e 41 anos em diante e ainda por Equipe. A Corrida do Aço está marcada para o dia 28 de junho, às 7h.

Andando na contramão da crise financeira que tem assolado o país, a Prefeitura Municipal de Marabá (PMM), através da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Semel), não tem medido esforços no sentido de recuperar e revitalizar os campos de futebol da cidade, que por décadas ficaram esquecidos por gestões anteriores.

O estádio Zinho Oliveira foi o primeiro a passar por reforma completa na parte de iluminação, acomodação de atletas e torcedores, além da primeira e única troca completa do gramado em sua existência (o Zinho foi inaugurado 1969).

Em seguida a PMM recuperou o Mestre Barata, conhecido como Piçarrão, que teve reformadas sua iluminação, além de vestiários e sede (que abriga a Adrenma).

Agora está sendo a vez do campo de Murumuru que recebeu gramado novo e está passando por ampla reforma, assim como o campo de Brejo do Meio, o Roldeirão, no São Félix Pioneiro; o Parque São Jorge, Novo Planalto; e o campo society do KM 11 de Morada Nova.

Por outro lado, o estádio Emival Mendes, em Morada Nova, que passou por recuperação no gramado e tem sua abertura ainda neste mês de junho, já tem autorização de licitação assinada pelo prefeito para instalação de iluminação, que irá proporcionar aos desportistas os jogos noturnos, que era um sonho antigo dos moradores de Morada Nova e região. 

Todas estas reformas e construções só estão sendo possíveis devido ao empenho do secretário de esportes Erton Luis Vigne, o Gaúcho (ex-dirigente de clube), que não abre mão e manter o apoio ao esporte marabaense, mas, não mediu esforços para reconstruir as praças esportivas locais.

“Não podemos ficar só doando bolas e troféus e ver nossos jovens morrendo sem ter campos de futebol para praticar seu esporte preferido”, destacou Gaúcho, durante a cerimônia de assinatura do convênio entre PMM e Lemar.

Já o presidente da Liga Esportiva de Marabá (Lemar), Helano de Tarso, enaltece a iniciativa de Gaúcho. “Será para todas as divisões do futebol marabaense a abertura de novos espaços para jogos oficiais”, parabenizou ele. (Bira Ramos)

 

Embora o empate (1x1) diante do Confiança, campeão sergipano, na casa do adversário, com mais um gol do meia Flamel, no domingo (7), tenha sido considerado positivo para o elenco do Águia, o resultado deixou o time em oitavo lugar no Grupo A da Série C.

A situação é a seguinte: o Águia está à frente apenas dos dois últimos colocados (o próprio Confiança, com 2 pontos, e o Icasa, que ainda não pontuou) e serão exatamente dois times rebaixados em cada chave.

Olhando para a parte de cima da tabela, o distanciamento em relação ao chamado G-4 vem aumentando bastante. O Águia está a 3 pontos do quarto colocado (ASA-AL, que tem 6 pontos) e 7 pontos do líder (Fortaleza-CE, que atingiu 10 pontos).

Se quiser melhorar sua posição na tabela e, ao menos, lutar por um lugar no G-4 até as últimas rodadas, o técnico João Galvão terá de conseguir um aproveitamento melhor do que o que obteve até agora.

O time marabaense só conseguiu 25% de aproveitamento, enquanto o quarto colocado obteve 50%. Ou seja, se quiser ficar no G-4, o Águia precisará de um aproveitamento duas vezes melhor do que o que vem tendo até aqui.

Caso contrário, o representante paraense na Série C ficará sempre na faixa inferior da tabela e, mais uma vez, lutando para não ser rebaixado. E quem apenas luta para não cair, um dia acaba caindo.

O Águia só volta a campo no dia 28 de junho, depois da Copa América. Ou seja, pelo menos uma coisa o técnico João Galvão terá: tempo para arrumar o time. O problema é que todo mundo vai ter o mesmo tempo.

Tempo: quem saberá usa-lo melhor?

O Águia chegou a ficar na frente, mas acabou derrotado pelo Vila Nova por 2 a 1 e conheceu sua primeira derrota na Série C do Campeonato Brasileiro. A partida foi realizada neste domingo (31), no estádio Zinho Oliveira, em Marabá.

Depois de abrir o placar no início da segunda etapa, com o meia Flamel cobrando pênalti, o Águia de Marabá acabou sofrendo uma incrível virada do Vila Nova (GO), ao sofrer gols de Mateus e Robston, este no último minuto de jogo.

O resultado da partida, realizada no Estádio Zinho Oliveira, em Marabá, casa do Águia, deixou os torcedores frustrados e fez o técnico João Galvão refletir sobre os erros do time. “Temos que melhorar muito. Os jogadores cansaram no fim e a equipe falhou em alguns pontos. O adversário aproveitou isso e conseguiu a vitória”, disse.

 Situação só não foi pior porque o goleiro Paulo Rafael, ainda no primeiro tempo, já havia defendido um pênalti.

Agora, o Águia terá pela frente o Confiança-SE na próxima rodada da Série C e para Galvão, a equipe tem condições de vencer fora de casa. “Agora é ter tranquilidade. Já pude estudar o adversário e o grupo tem condições de ir lá buscar a vitória”, assegurou.