Com apoio e articulação da vereadora de Belém, Sandra Batista, o secretário municipal de Saúde de Palestina do Pará, Sezostrys Alves da Costa, foi recebido na Coordenação Estadual do Programa Luz Para Todos, na sede da Eletronorte, em Belém, onde o engenheiro coordenador, Luiz Fernando Garliza, prestou as informações relativas dentro do que está previsto no programa para Palestina.

Conforme documentos do Programa, Palestina do Pará teve até agora, apenas 276 ligações realizadas pelo programa, que foram efetuadas até março de 2007, e desde lá, não mais houve obras do programa no município.

Mediante as decisões do Comitê Gestor do Programa, datado de 12/07/2013, haverá apenas 30 novas ligações pelo Programa Luz Para Todos na 5ª Fase das obras vigentes, que deverão ocorrer no PA Rio Mar.

As demais solicitações de implantação e ampliação de redes e ligações novas precisam ser contempladas nos próximos contratos de realização de obras do Programa, que deverá ocorrer no 2º semestre de 2015 ou início de 2016.

“É importante centrar forças e articulações políticas, que mesmo tendo o esforço do prefeito Valciney Gomes, todo e qualquer apoio é bem vindo e ajudará a mudar a realidade de vida de dezenas de famílias que residem nos Assentamentos do nosso Município”, afirmou Sezostrys.

Ainda segundo ele, é necessário aprovar e prever os recursos para a realização dessas obras junto ao Comitê Gestor do Programa, que é coordenado pela Eletronorte aqui no Estado do Pará e é composto pela CELPA, ALEPA, FETAGRI e outros segmentos sociais organizados. Suas decisões são coletivas e com base em orçamento disponível.

 

Passar dias ou até meses internado em um hospital é uma experiência das mais angustiantes para qualquer pessoa. E só a o apoio e a presença dos amigos e familiares, além dos profissionais de saúde e voluntários, ajuda o paciente o doente a se sentir mais confortado. Proporcionar estado de acolhimento e apoio é uma das metas do Grupo de Trabalho e Humanização do Hospital Regional do Sudeste do Pará Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá.

Na terça-feira (14), por ocasião do Dia do Enfermo, os pacientes internados nesse hospital gerido pela Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar – Pró-Saúde, sob contrato coma Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) participaram de momentos de descontração, brincadeiras e ouviram palavras de conforto graças a uma parceria do HRSP com o grupo católico de música e teatro “Anjos da Graça”, da Igreja Católica.

Jovens divertidos e comprometidos com o amor ao próximo visitaram os leitos levando mensagem de fé, proporcionando momentos de descontração aos pacientes e seus acompanhantes. A rigor, é um tratamento alternativo chamado de “risoterapia” e “musicoterapia”.

Além do tratamento hospitalar que recebem, os pacientes aprovam esse tipo de atividade. “Só tenho coisas boas para dizer: pois quando cheguei aqui fiquei numa tristeza muito grande, mas agora consigo sorrir novamente, graças a essas pessoas maravilhosas”, Meg de Oliveira Pereira, paciente internada há quase dois meses.

Com níveis de aprovação acima de 90 por cento, o hospital proporciona, com esse tipo de atividade, possibilidades de atenuar o sofrimento de pacientes e acompanhantes. “Desde a entrada no hospital, na portaria, até os médicos, o atendimento tem sido diferenciado, aqui; e a presença dos ‘Anjos da Graça’ nos dá mais força ainda”, afirma Karine dos Reis Leal, que acompanha a prima, internada no HRSP.

Segundo a enfermeira Karla Luz, coordenadora do Grupo de Humanização do HRSP, a avaliação de impacto das atividades realizadas no Dia do Enfermo, nos anos anteriores, indica que os usuários ficam mais ativos, motivados e falantes; apresentam evidências clínicas de melhora e aceitam com mais facilidade os medicamentos e se alimentam melhor.

“O Dia do Enfermo chama todos os profissionais de saúde, familiares e amigos dos usuários a redobrarem o carinho e o afeto, uma vez que, para se reabilitarem, os indivíduos necessitam muito mais que métodos técnicos e medicamentos. Prova-se que o bem estar psicológico e mental é imprescindível para uma recuperação menos dolorosa e mais rápida”, afirma Karla Luz.

 

Na tarde desta sexta-feira (10) aconteceu na Secretaria Municipal de Saúde a assinatura de Ordens de Serviço para a construção de mais duas Unidades Básicas de Saúde (UBS) em Marabá: uma no Bairro Araguaia, na Nova Marabá; e outra no Bairro da Paz, no Núcleo Cidade Nova.

A obra do Bairro Araguaia é do Tipo Dois, com uma estrutura de grande porte e receberá um investimento de R$ 966.364,16; já a do Bairro da Paz é Tipo Um, de estrutura mediana e está orçada em R$ 726.915,13, ambas serão construídas em parceria com a mineradora Vale, como condicionante pela implantação da Siderúrgica Aços Laminados do Pará (Alpa) na cidade.    

Segundo o secretário de Saúde Nagib Mutran Neto, a nova unidade do Bairro Araguaia – antiga Invasão da Fanta - atenderá também os moradores do Nossa Senhora Aparecida – antes Invasão da Coca-Cola - e os loteamentos próximos, além de desafogar o atendimento na UBS Mariana Moraes, no Bairro Quilômetro 7, Nova Marabá. “Assim como a do Bairro da Paz [ex-Invasão da Lucinha], que garantirá melhor atendimento aos usuários daquela região”, complementa Nagib.

As novas unidades de saúde contarão com equipes do Programa Saúde da Família (PSF), o qual levará atendimento de casa em casa. “Uma forma de melhorar a qualidade de vida do nosso povo”, ressalta o secretário.

O líder de projetos da Vale, Rodrigo Coji, falou também da importância de mais uma obra em parceria da mineradora com a prefeitura. “Essa parceria vem dando certo, proporcionando desenvolvimento da nossa cidade e diminuindo as carências existentes”, disse.

Ricardo Coelho, proprietário da empresa Exagon Construções e Serviços Ltda., responsável pela obra, informou que a equipe da empresa irá trabalhar com duas frentes de serviço, cada uma em uma unidade.

“O prazo é de seis meses para a entrega dessas unidades de saúde. Além disso, me sinto honrado por ser filho de Marabá e tocar essa obra tão importante para o município”, destacou ele.

A construção das duas unidades de saúde em bairros originados de ocupações representa o cumprimento de mais uma promessa do prefeito João Salame. O prefeito ressalta que em seu governo tem procurado levar atendimento de infraestrutura, educação, saúde e assistência social, entre outros, a bairros periféricos que antes da atual administração tinham pouca ou nenhuma atenção do poder público.

Parcerias

Além dessas duas novas Unidades de Saúde, também estão sendo executadas em parceria com a Vale, a reforma e ampliação das UBS dos bairros Liberdade e Laranjeiras. Também resultado dessa união foi construída a Unidade de Saúde da Família “Carlos Barreto”, em Morada Nova, inaugurada no último dia 30 de abril. (Fonte: Ascom/PMM)

A Prefeitura de Marabá, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), com seu Departamento de Vigilância em Saúde, ligado ao Centro de Controle de Zoonoses, iniciou nesta quinta-feira (02) - em parceria com o Exército e Secretaria Municipal de Urbanismo (Semsur) - ação de combate à leishmaniose, ou calazar, no Bairro Nossa Senhora Aparecida, antiga Invasão da Coca-Cola.

De acordo com a enfermeira Vanice Silva, da coordenação da Vigilância Sanitária, a campanha consiste em educar a população quanto ao manejo ambiental. “No final desta fase educativa, onde temos o apoio do Exército e da Secretaria de Urbanismo, será realizada a borrifação”, anunciou.

De acordo ainda com Vanice, a leishmaniose é uma doença não contagiosa causada por parasitas (protozoário Leishmania) que invadem e se reproduzem dentro das células que fazem parte do sistema imunológico (macrófagos) da pessoa infectada.

“Esta doença pode se manifestar de duas formas: leishmaniose tegumentar ou cutânea e a leishmaniose visceral ou calazar”, explicou ainda a enfermeira.

A melhor forma de se prevenir contra a doença é evitar residir ou permanecer em áreas muito próximas à mata, evitar banhos em rio próximo à mata e sempre utilizar repelentes quando estiver nesse ambiente, etc.

Cães e aves (galinhas) são os principais alvos da ação da Vigilância Sanitária nesta ação em Marabá, com colocação de armadilhas para apanhar o mosquito, nos vários galinheiros que existem ali no bairro Nossa Senhora Aparecida.

Já neste primeiro dia de campanha, cães foram recolhidos e moradores que possuem galinheiro em casa foram orientados de como manter o controle realizando a prevenção, sempre mantendo o local limpo, pois são as fezes das aves que atraem o mosquito transmissor.

A Prefeitura de Marabá retomou a pavimentação da Avenida Pará, no Bairro Santa Rosa, Núcleo Pioneiro. Na primeira etapa, no segundo semestre de 2013, a via teve cerca de 800 metros pavimentados em concreto industrial, depois de ter recebido drenagem, a fim de evitar que o pavimento pudesse ser deteriorado por ocasião das enchentes do Rio Tocantins. Diferentemente do asfalto, o cimento tem muito mais resistência à àgua das enchentes.

Agora, no trecho final, de aproximadamente 400 metros da avenida, onde o antigo asfalto estava desaparecendo, a capa asfáltica está sendo toda removida e ali também será feita drenagem e, logo em seguida, colocado novo asfalto. Outro detalhe é que o leito da rua será elevado em 20 centímetros para também evitar alagamentos.

Nesta quarta-feira (15), será realizada a imprimação da rua, procedimento que antecede à implantação da capa asfáltica. Também estão recebendo drenagem e pavimentação ruas dos bairros Araguaia, Nossa Senhora Aparecida, Laranjeiras e Bom Planalto.

 

Uma das cidades mais ricas do País, Parauapebas está enfrentando crise por falta de médicos no serviço público municipal. A prefeitura demitiu 14 especialistas, alegando falta de recursos, algo impensável e que carece de uma investigação dos órgãos de controle externo e da própria sociedade, afinal o dinheiro sempre entra nos cofres do município.

E essa falta de médicos especialistas nas unidades de saúde preocupa os moradores de Parauapebas. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, 14 médicos foram demitidos com o objetivo de reduzir custos, mas a dispensa dos profissionais não estaria prejudicando o atendimento aos pacientes.

“Está tudo sobrecarregado, até o atendimento porque quando a gente chega aí, é muita gente. Quatorze doutores demitidos vão fazer muita falta para a população", afirma o comerciante Carlos Gomes.

A medida foi tomada depois da convocação dos novos concursados para as vagas de enfermeiros, técnicos de enfermagem e auxiliares administrativos. As demissões foram realizadas nas especialidades que tinham mais de um profissional responsável.

Diante da redução do quadro funcional da rede municipal de saúde, o Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa) deve recorrer ao Ministério Público para tentar reverter a situação.

"Levou-se anos para constituir a equipe de médicos que tem lá. Muitos não são do município, a maioria vem de municípios próximos ou vem até de outros estados, então, nós não podemos perder essa estrutura que nós temos hoje", explica João Gouveia, presidente do Sindmepa.

O município de Parauapebas conta com 11 postos de saúde na zona urbana e nove postos na zona rural, porém, o serviço prestado é bastante criticado pelos usuários. A principal queixa é a demora pelo atendimento.

“Aqui a gente espera muito, tem vezes que é um dia todinho e às vezes ainda sai sem ser atendido. Também tem vezes que falta a paciência e a gente vai embora", conta o aposentado Benedito Costa.

O motorista Marivaldo Santos está com o pai internado no hospital e detalha por que o atendimento deixa a desejar. "É cheio de burocracia e o atendimento é demorado”.

 

A Prefeitura de Marabá, por meio da Secretaria de Ação Comunitária, Trabalho e Cidadania (Semac), está cada vez mais empenhada em promover geração de emprego e renda, sobretudo em tempos de crise econômica como o que atualmente assola o país.

Ontem mesmo, dia 29, a Semac encerrou uma Oficina de Customização de Sandálias, complementada com palestras sobre Empreendedorismo e Linhas de Crédito do "Programa Amazônia Florescer".

Essa atividade faz parte do projeto de capacitação/qualificação da secretaria, visando a geração de renda dos participantes. Os instrutores Luzinete Lima Pereira e Flávio dos Santos, que ministraram a oficina, fazem parte do grupo de artesãos cadastrados na Semac.

Esteve presente no encerramento a secretária Nágila Marina, que fez a entrega dos certificados com os instrutores e equipe da Semac, que falou sobre a importância dessas oficinas para a comunidade, como uma nova opção para empreender e melhorar a renda familiar. (Fonte: Ascom/Semac)

Depois de passar pelo Bairro Morada Nova, a Prefeitura de Marabá, por meio da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU), iniciou pelo Bairro Amapá a segunda etapa do programa de regularização fundiária Minha Casa Legal.

O “Minha Casa Legal” atenderá de forma gradativa os bairros da cidade até 2016, com regularização fundiária de interesse social e os demais tipos de legalização, cumprindo as metas estabelecidas pelo PLHIS (Plano Local de Habitação de Interesse Social), de forma itinerante.

O Programa, executado em parceria com o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), leva também aos bairros serviços da Secretaria de Gestão Fazendária (Segfaz), Secretaria de Indústria Comércio, Ciência, Tecnologia e Mineração (Sicom), Secretaria de Serviços Urbanos (Semsur), Sistema Nacional de Emprego (Sine) e Hemocentro Regional de Marabá (Hemopa).

Além da regularização fundiária, o “Minha Casa Legal” oferece projetos arquitetônicos para famílias de baixa renda, com atuação dos alunos voluntários do curso técnico de Agrimensura e de Edificações desenvolvendo atividades técnicas, no processo de extensão tecnológica.

A população do Bairro Amapá, será atendida até o dia 24 de julho, no horário das 8h30 às 12h00, na Escola “Basílio Miguel”.

Durante os dias de programação a equipe da SDU estará emitindo boletos aos moradores interessados na regularização de seus imóveis e após a programação, com no máximo 20 dias, estarão recebendo os títulos de suas propriedades.

“Vale registrar que essa data, 24 de julho, pode ser prorrogada, dependendo da necessidade”, disse Alisson Oliveira, assessor de Comunicação da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU).

 

Programação

14/07: SICOM–Orientação e formalização de MEI (Microempreendedor Individual) – 8h30 às 12 horas.

15/07: SDU/IFPA/SEGFAZ

16/07: Semsur: Palestra gerenciamento de resíduos – 9 horas

17/07: Hemopa: Palestra-Doação de Sangue – 10 horas

Sine:  Cadastro do Trabalhador (levar CTPS, RG e CPF)

Encaminhamento ao trabalho com as vagas disponíveis.

Requerimento de Seguro desemprego – 8h30 às 12 horas

20/07: SDU/IFPA/SEGFAZ

21/07: SICOM– Orientação e formalização de MEI (Microempreendedor Individual) – 8h30 às 12 horas

22/07: Saci: Importância da documentação – Horário 10h30

23/07: SDU/IFPA/SEGFAZ

24/07: Sine: - Cadastro do Trabalhador (levar CTPS, RG E CPF)

 Encaminhamento ao trabalho de acordo com as vagas disponíveis.

 Requerimento de Seguro desemprego –  8h30 às 12 horas

 

 

O município de Parauapebas irá expandir as ações de combate à violência e exploração sexual na zona rural do município. A cidade ganha o reforço do Programa Proteger é Preciso. A metodologia, que nasceu no Pará e foi desenvolvida por especialistas em conjunto com grupos de adolescentes, traz uma linguagem diferenciada e um kit pedagógico que auxilia na conscientização e no enfrentamento de problemáticas atuais da infância e da adolescência.

O Programa Proteger é Preciso é uma inciativa da Vale e da Fundação Vale. O conteúdo traz a abordagem sobre oito temas atuais: Direitos Sexuais são Direitos Humanos, Desenvolvimento da Sexualidade, Igualdade de Gênero, Diversidade Sexual, Prevenção da Gravidez Precoce, das DST Aids e do Uso de Drogas e Álcool e a Prevenção à Violência Sexual (abuso e exploração). O kit pedagógico é composto por cartilha, CD e oito vídeos que tratam dos assuntos.

A iniciativa vem fortalecer a Rede de Atendimento e Proteção Social de Parauapebas (RAPS), uma parceria social público privada que tem como objetivo a garantia de direitos, por meio do enfrentamento da violência sexual. A RAPS é composta pela Vale, Secretaria de Assistência Social, Mulher, Educação e Saúde, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Conselho Tutelar e Disque Denúncia. A primeira capacitação reuniu profissionais da rede e ainda jovens das comunidades de Palmares II, Palmares Sul e Cedere, localizadas na área de abrangência do Ramal Ferroviário, projeto executado pela Vale em Parauapebas.

Parauapebas capacita primeira turma do Programa Proteger é Preciso

"Os temas trabalhados na metodologia são de suma importância, totalmente atuais e uma realidade em Parauapebas. O kit irá nos ajudar muito a trabalhar justamente com nosso público infanto-juvenil nas escolas e na comunidade, por meio de oficinas, palestras e atividades socioeducativas com o foco em prevenir",  diz Talita Lima Cabral, que atua  em programa de prevenção do trabalho infantil na zona rural do município.

Metodologia – A metodologia foi desenvolvida e aplicada em Minas Gerais, mas foi iniciada no Pará, com o programa de combate à exploração sexual executado pela Vale, por meio da unidade do Salobo nas comunidades de Vila Sanção e Paulo Fonteles. O trabalho rendeu à Vale ainda o prêmio Neide Castanha da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República na categoria responsabilidade social em 2013.

Um dos diferenciais do Programa está na geração do seu conteúdo, fruto da integração do conhecimento e experiência de especialistas e jovens. "Essa construção no coletivo fez com que os jovens e a comunidade se identifique mais com temas que ainda são tabus, como a sexualidade, e  passem a atuar, como um agente multiplicador e transformador dessa realidade", destaca a analista de responsabilidade social da Fundação Vale, Cláudia Lopes.

 

 

O Hospital Regional Público do Sudeste (HRSP), em Marabá (PA), em parceria com a Fundação Hemopa e a Unimed-Sul do Pará, promove de 29 de junho a 3 de julho, mais uma campanha de doação voluntária de sangue com coletas nas dependências do próprio hospital no dia 30, no horário de 8h às 17h. Nos demais dias, as coletas serão realizadas no hemocentro das 7h30 às 12h30.

A realização das atividades de incentivo à doação de sangue já estão incorporadas na rotina do HRSP com campanhas que vêm ocorrendo três vezes por ano, desde a inauguração da unidade, sendo esta a 25ª campanha. Com o objetivo de sempre colaborar com o estoque de sangue do hemocentro fornecedor e possibilitar que cada vez mais pacientes possam ser beneficiados nas suas indicações de transfusões sanguíneas tanto no HRSP como nos demais hospitais de Marabá e região.

A organização da campanha conta com o Grupo de Mobilização de Doadores “Amigos de Sangue”, composto por colaboradores dos diversos setores do hospital, Grupo de Trabalho e Humanização, Serviço Social e SAU (Serviço de Atendimento ao Usuário) sempre com o apoio das diretorias do HRSP.

A participação de colaboradores, inclusive coordenadores e diretores, sempre representa mais de 50% das bolsas coletadas nas campanhas, o que demonstra o envolvimento de todos, não apenas na assistência aos pacientes, mas também na participação ativa em ações de responsabilidade social.

“O HRSP convida a comunidade em geral a participar doando sangue ou encaminhando doadores a fim de atingir a meta de 100 coletas, que possibilitará melhorias no estoque de hemocomponentes da Fundação Hemopa para as próximas férias de verão, quando é comum a redução nos estoques pelo baixo comparecimento de doadores”, informa a médica Socorro Leão, que integra a equipe de Apoio Técnico do Hemopa e preside a Agência Transfusional do Hospital Regional.

INFORMAÇÕES

Para doar basta estar bem de saúde, ter peso mínimo de 50kg, estar alimentado, apresentar documento oficial de identidade e ter entre 18 e 69 anos de idade. Candidatos entre 16 e 18 anos devem estar acompanhados de responsável legal para autorizar a doação e o limite para a primeira doação é de 60 anos.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) lançou neste mês de julho o aplicativo "Anatel Consumidor", que permite ao consumidor registrar e acompanhar, em celulares e tablets, reclamações contra as prestadoras de telecomunicações.

A ferramenta também permite o registro e o acompanhamento de sugestões e pedidos de informação e conta com uma seção destinada a tirar as principais dúvidas sobre direitos do consumidor por meio de Perguntas Frequentes.

A informação foi repassada por Jader Santos, presidente da Associação Nacional de defesa dos consumidores de Energia Elétrica e Telecomunicação (Anacel).

O aplicativo está disponível para os sistemas Android, iOS (Apple iPhone) e Windows Phone e pode ser baixado nas lojas de aplicativos de forma gratuita.

Com o aplicativo, a Anatel espera não apenas tornar o registro de reclamações mais intuitivo e fácil para o consumidor, como também se adequar às novas tendências de atendimento, que indicam que consumidor tende a substituir os canais tradicionais, como call centers, por meios digitais.

Quando um consumidor registra uma reclamação na Anatel, ela é encaminhada para a prestadora que está sendo reclamada. A empresa tem, então, cinco dias úteis para dar uma resposta ao consumidor. Embora não trate de forma individual as reclamações, a Anatel cobra das prestadoras o cumprimento dos prazos e analisa, por meio de amostras selecionadas aleatoriamente e estatisticamente válidas, a qualidade das respostas das prestadoras.

Além de acompanhar como as prestadoras atendem o consumidor, a Anatel também monitora quais são as principais razões que levam o consumidor a buscar seus canais de atendimento. Com base nessas informações, planeja ações de fiscalização, acompanhamento e controle, e até mesmo mudanças nas regras do setor.

 

A Prefeitura de Marabá, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, deu o primeiro passo para a implantação do Prontuário Clínico Eletrônico nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município. Com a implantação desse sistema, há um melhor controle das informações sobre os serviços, os usuários, e o Sistema Único de Saúde (SUS) em geral.

Todo o acompanhamento do usuário é registrado e atualizado no sistema, desde a porta de entrada do SUS pela atenção básica, seja pela Estratégia de Saúde da Família ou na Unidade Básica de Saúde.

A enfermeira Valdirene Duarte, diretora da Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde, informou que o município recebeu recentemente 85 computadores do Ministério da Saúde, entre esses 30 do Programa de Assistência Farmacêutica Hórus e nove do e-SUS da Atenção Básica do Ministério da Saúde.

As unidades de saúde que irão receber os computadores serão: João Batista Bezerra, no Bairro Santa Rosa; Demosthenes Azevedo, no Bairro Francisco Coelho; Maria Bico Doce, no Bairro São Félix I; a Unidade Saúde da Família “Carlos Barreto”, em Morada Nova, que deve receber cinco computadores. 

“Isso é um avanço grande. Mais condição de trabalho economia de papel, o prontuário físico deixa de existir”, ressaltou a diretora da Atenção Básica.

Mais – Ela informou ainda que já estão empenhados mais 23 computadores para a área de Saúde da Mulher. “Esses já estão empenhados, falta apenas a empresa entregar para também estarem informatizando as unidades de saúde”, enfatizou.

Também já foram cadastrados pelo Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, mais 46 computadores para as unidades do Liberdade; Laranjeiras; Mariana Moraes, no Bairro Quilômetro 7, na Nova Marabá; Jaime Pinto, no Bairro Belo Horizonte; Amadeu Vivacqua, no Bairro São Félix II; Enfermeira Zezinha, na Folha 23, na Nova Marabá; Pedro Cavalcante, no Bairro Amapá e Hiroshi Matsuda, na Folha 12, na Nova Marabá.

Prontuário – O prontuário eletrônico permite a substituição dos receituários e encaminhamentos por papel, já que tudo fica registrado de forma on-line, o que possibilita que a informação seja acessada de qualquer lugar. No atendimento primário no posto de saúde, é possível que o médico acesse todo o histórico do paciente. Caso seja necessária a prescrição de um medicamento, o próprio sistema registra a solicitação. Assim como os exames por imagem, como radiografias, que podem ficar ali armazenadas, dispensando a impressão destas. (Fonte: Ascom)

Para ensinar os professores e alunos a navegarem na plataforma Seduc Digital, de modo a potencializar as pesquisas e obter êxito na aprendizagem, o formador do Núcleo de Tecnologia de Belém (NTE), Luciano Melo, já pensa em levar a novidade às 150 escolas com laboratório de informática da Região Metropolitana de Belém (RMB), com a realização de minicursos a partir de agosto. A ideia é uma das propostas apresentadas na capacitação do Encontro de Formadores dos NTEs e Técnicos dos Municípios-piloto do Pacto pela Educação, nesta quarta-feira, 24, na escola Anísio Teixeira, no Umarizal.

Segundo o professor, a proposta é que os minicursos sejam voltados para as disciplinas de Matemática e Física ou de Introdução à Educação Digital, para que os alunos do ensino médio possam fazer a pesquisa no Seduc Digital, usando as interfaces do software Geogebra para discutir questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e do vestibular. “É uma plataforma muito boa, com uma infraestrutura preparada para que os alunos possam filtrar sua pesquisa, para o aprendizado dos alunos e o ensino dos professores para melhorarmos o IDEB do nosso estado”, disse Luciano Melo.

A plataforma Seduc Digital é uma das ferramentas do Pacto pela Educação do Pará, que tem como meta principal aumentar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) em 30%, para todos os níveis, do ensino fundamental I e II e médio, até 2017. Disponível no endereço seducdigital.pa.gov.br, o site de buscas gratuito reúne 22 mil Objetos Digitais de Aprendizagem, as ODAS, com videoaulas, games, infográficos, mapas e outros recursos digitais escolhidos para que a aprendizagem ocorra de forma dinâmica e criativa, dentro e fora da sala de aula.

A plataforma já foi levada para 17 estados, por meio do projeto Escola Digital, com os parceiros do Pacto, a Fundação Telefônica, Instituto Natura e Instituto Inspirare, e também pela Seduc, com os projetos Portal Educacional e Sistema de Educação Interativa, que será lançado ainda esse ano. No Pará, o diferencial será todo o acompanhamento pedagógico que os técnicos da Seduc farão nas aulas para que os alunos, pais e professores aprendam a usar os objetos.

Segundo Tereza Jordão, do Instituto Natura, a nova plataforma facilitará a busca para o professor de informações antes espalhadas pela internet. “A plataforma serve como um apoio para o professor, mas na verdade a proposta é que o professor repense a forma como vem dando aula, para saber se atende às expectativas dessa nova geração de alunos”, disse ela.

Cerca de 70 agentes multiplicadores de onze NTEs em Belém, Ananindeua, Abaetetuba, Benevides, Castanhal, Bragança, Tucuruí, Altamira, Marabá, Redenção e Santarém, além de 35 técnicos das secretarias de Educação dos 17 municípios-piloto do Pacto, participaram da capacitação sobre o uso das plataformas educacionais gratuitas e ODAS, desde o dia 22 até o dia 26 deste mês. (Agência Pará)