O Ministério da Educação prometeu liberar à Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), 10% do limite de orçamento para custeio e 10% do limite de orçamento para capital, viabilizando, assim, a manutenção da Unifesspa nos próximos dois meses.

Verbas de custeio são aquelas destinadas ao pagamento de despesas com a manutenção da Universidade, a exemplo das contas de energia, limpeza, segurança, entre outras. Orçamento de capital é destinado às ações de investimento, como aquisição de equipamentos e obras de construção.

O anúncio de liberação do limite de crédito orçamentário foi feito ontem (28), pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, em Brasília, quando recebeu em audiência o reitor da Unifesspa, Maurilio Monteiro e reitores de outras instituições públicas de ensino superior.

Diante do quadro de dificuldade orçamentária apresentado pela Unifesspa, o ministro Mendonça Filho prometeu analisar, junto aos setores competentes do Ministério, a possibilidade de não contingenciar o orçamento das universidades em processo de implantação, como é o caso da Unifesspa, que para garantir condições mínimas de funcionamento, no ano corrente, necessita da liberação de R$ 5.678.549,00, sendo R$ 3.668.552,00 de capital e R$ 2.009.997,00 de custeio.

O reitor da Unifesspa, Maurílio Monteiro, que já havia informado ao Ministério da Educação sobre a criticidade da situação financeira da Instituição, por meio de comunicações oficiais, reforçou o pedido por verbas, visando a garantia da manutenção da estrutura da Unifesspa, a compra de equipamentos previamente definidos e a continuidade às obras estruturantes. Também participaram da audiência em Brasília, o senador Paulo Rocha, o reitor da UFPA, Emanoel Tourinho, a reitora da UFOPA, Raimunda Nonata Monteiro, o diretor executivo do IFPA, professor André Moacir Lage Miranda e a sub-secretária de Planejamento e Orçamento do MEC, Iara Ferreira Pinheiro. 

Segundo Maurílio Monteiro, sobre o pedido de suplementação orçamentária para a Unifesspa, no valor de R$ 14 milhões, Mendonça Filho informou que essa demanda não pode ser resolvida apenas no âmbito do Ministério da Educação. Na ocasião, o senador Paulo Rocha se comprometeu a mobilizar a bancada federal paraense e buscar apoio ao pleito junto à Casa Civil e ao Ministério do Planejamento.

 

A cavalgada que marca a abertura da 31ª Exposição Agropecuária de Marabá (Expoama) acontece no próximo sábado (8). O evento se estende até o dia 16 deste mês de julho. O tradicional evento é sediado no Parque de Exposições Agropecuárias de Marabá e é realizado pelo Sindicato dos Produtores Rurais de Marabá (SPRM).

O show de abertura da Expoama, no sábado, ficará por conta da forrozeira Márcia Fellipe. No domingo e na segunda haverá shows regionais, enquanto que a terça-feira terá espetáculo gospel com a banda Som & Louvor. Já a quarta-feira, que marca a abertura rodeio, terá o show da dupla sertaneja Jorge e Mateus. Na quinta, haverá apresentações de artistas regionais; e na sexta-feira quem sobe ao palco é Pablo do Arrocha.

Segundo Antônio Vieira Caetano, o “Nenê Caetano”, presidente do SPRM, a Expoama é um evento de Marabá, feito com esmero, “para que toda sociedade possa participar”.

Sobre os preços praticados na feira principalmente na praça de alimentação, o presidente do SPRM informou que os valores cobrados precisam ser acessíveis, inclusive algumas medidas já estão sendo tomadas para garantir isso. A latinha de cerveja ou de refrigerante, por exemplo, não poderá ser vendida por mais de R$ 4,00. Essa taxação está sendo feita em parceria com Secretaria de Direito do Consumidor de Marabá.

No tocante ao estacionamento, a notícia não é das melhores. Este ano o serviço voltará a ser cobrado. “As coisas não estão muito fáceis, mas o preço será acessível”, pondera “Nenê Caetano”, acrescentando que os custos para manutenção do parque agropecuário são grandes, de modo que o sindicato necessita desse recurso. Por outro lado, observa que o modelo de estacionamento permite um fluxo maior de veículos e diminui o congestionamento.

 (Chagas Filho)

 

Ao longo deste mês, o Hospital Regional do Sudeste do Pará - Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, que é gerenciado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), realizará palestras voltadas para usuários ambulatoriais, com o objetivo de conscientizá-los sobre a importância da doação de sangue.

Referência em atendimento de trauma de média e alta complexidades, o Hospital Regional do Sudeste do Pará é uma das unidades que mais demandam a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará - Hemopa Marabá. Em 2016, a unidade realizou mais de duas mil transfusões em pacientes internados. Por conta dessa alta demanda, periodicamente, o HRSP conscientiza usuários e colaboradores sobre a necessidade de manter o estoque do banco de sangue da região. As ações são realizadas por meio de campanhas voluntárias de doação, que acontece três vezes ao ano na unidade, e do grupo 'Amigos de Sangue', composto por colaboradores responsáveis pela captação de novos doadores.

Ana Carolina Chaves é uma das mais novas integrantes do grupo. Ela já doou sangue algumas vezes, mas, atualmente, por conta de um quadro anêmico, não doa mais. Porém, faz questão de continuar incentivando amigos e familiares a fazerem parte dessa corrente. 'Doar sangue é como se estivesse dando um pedacinho da gente para salvar outra pessoa. Faz um bem muito grande', diz a coordenadora do Serviço de Atendimento ao Usuário.

De acordo com a hematologista do HRSP, Socorro Leão, doar sangue é um ato de cidadania. 'Os doadores são como o tesouro mais precioso dentro da Hemoterapia. Sem eles não é possível fazer nada, porque o sangue não pode ser fabricado, ele vem realmente de uma pessoa que tem uma solidariedade humana grande, amor ao próximo e responsabilidade social', argumenta a coordenadora da Agência Transfusional.

'Junho Vermelho'

Além de incentivar a doação de sangue por meio de orientações, neste mês, o Hospital Regional do Sudeste do Pará também aderiu ao 'Junho Vermelho'. Criado em 2011 para sensibilizar a população sobre a importância do ato, o movimento nacional é integrado por órgãos públicos e instituições de todo o País, que iluminam suas fachadas na cor vermelha para chamar atenção sobre o tema. Este é o segundo ano que o hospital adere ao movimento. A primeira vez foi em 2016. 

O primeiro bate-papo aconteceu nesta semana, sob a coordenação do Serviço Psicossocial, quando se comemorou o Dia Mundial do Doador de Sangue.

 

A Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Marabá (4ª Vara Cível e Empresarial) abriu processo de seleção de 40 agentes de proteção voluntários da Infância e Juventude de Marabá. As inscrições seguem até às seis da tarde do dia 22 de junho de 2017. A data prevista para a prova é dia 30 de junho de 2017, das 9h da manhã ao meio-dia no salão do júri do fórum da Comarca.

As atividades desenvolvidas pelos agentes de proteção consistem na fiscalização das diversões públicas diurnas e noturnas (bares, boates, eventos festivos, carnaval, festas juninas etc.); fiscalização de terminal rodoviário, portos e aeroportos de Marabá, relacionada às viagem nacionais de crianças e adolescentes; fiscalização aos estádios de futebol, ginásios de esportes, competições e torneios de MMA e afins; fiscalização às diversões eletrônicas e certames de beleza, motéis, pousadas, hotéis, acrescido de prevenção a material pornográfico em bancas de revistas, vídeo locadoras e similares; de fiscalização do trabalho infanto-juvenil, entre outras.

O trabalho prestado pelo agente de proteção da Vara da Infância e Juventude de Marabá é voluntário, considerado atividade não remunerada (sem ônus para os cofres públicos). O juiz Augusto Bruno de Moraes Favacho responde pela Vara da Infância e Juventude de Marabá.

Os interessados em participar do processo seletivo podem fazer inscrições no portal do Tribunal de Justiça do Pará (TJPA), no link IV Processo Seletivo Agentes de Proteção Voluntário da Vara da Infância e Juventude de Marabá. (Com informações da coordenadoria de imprensa do TJPA)

 

O reitor da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, professor doutor Maurílio de Abreu Monteiro foi recebido pelo secretário adjunto de Educação Superior, Mauro Luiz Rabelo e pelo  coordenador-geral de Planejamento e Orçamento das Instituições Federais de Ensino, Weber Gomes de Souza, no Ministério da Educação, em Brasília, em audiência na manhã da última sexta-feira (23) e reiterou o pedido de descontigenciamento do orçamento para garantir a manutenção da estrutura da Unifesspa, a compra de equipamentos previamente definidos e acordados com o MEC e dar continuidade às obras físicas.

A Unifesspa já havia solicitado a ampliação da dotação orçamentária com base nos critérios apontados pelo próprio MEC, dentre eles, o do número de alunos equivalentes. E, pela terceira vez, foi entregue outro ofício da Unifesspa com o mesmo teor, tentando sensibilizar o MEC para a importância da existência e consolidação da Unifesspa na região Sul e Sudeste do Pará.

Em dois ofícios anteriores, datados de 22 de junho de 2016; e de 15 de maio deste ano, a Unifesspa já chamou a atenção para a necessidade de liberação dos recursos federais, e que tem adotado diversas medidas administrativas, com a redução drástica de custos operacionais.

Segundo o ofício entregue ao MEC, a Unifesspa precisa de R$5.678.549,00 para que tenha condições mínimas de funcionamento este ano; e outros R$14.304.083,77de suplementação orçamentária, dos quais R$2.118.843,66 serão aplicados em despesas de custeio; e R$12.185.240,11 investidos em despesas de capital (relacionadas com a aquisição de equipamentos e construções de prédios). Na próxima quarta-feira (28), o reitor volta à Brasília, para uma nova audiência com o ministro da Educação, Mendonça Filho.

Obras estruturantes

Entre as obras que necessitam de conclusão relatadas ao MEC e que precisam de recursos orçamentários estão o prédio de cinco pavimentos para os institutos de ensino, localizado na Cidade Universitária (Unidade 3 - Campus Marabá), previsto para ser entregue até março do próximo ano, caso haja a liberação de dinheiro.

Esse prédio tem capacidade para abrigar nove cursos de graduação (Agronomia, Ciências Econômicas, Saúde Coletiva, Ciências Biológicas, Psicologia, Física, Química, Matemática, Ciências Naturais) e cinco cursos de pós-graduação (Mestrado Profissional em Ensino de Física; Mestrado Acadêmico em Química; Doutorado Interinstitucional em Saúde Pública; e Mestrado Acadêmico em Educação em Ciências e Matemática; e Centro de Saúde e Atendimento do Servidor).

O prédio do Galpão de Laboratório para as Engenharias, localizado na Unidade 2 do Campus de Marabá está com a obra inconclusa. No galpão serão beneficiados nove cursos de graduação (Engenharia da Computação, Engenharia de Materiais, Engenharia de Minas e Meio Ambiente, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia Química, Engenharia Civil, Geologia e Sistema de Informação) e dois cursos de pós-graduação (Doutorado Interinstitucional em Engenharia Elétrica e Mestrado Profissional em Propriedade Industrial e Transferência de Tecnologia).

A terceira obra que necessita da liberação de recursos para ser concluída é a do Setor de Logística e Almoxarifado Central, no setor administrativo da Cidade Universitária (Unidade 3), em Marabá, o que propiciaria economia com o aluguel do galpão do almoxarifado, abrigaria uma área de manutenção dos veículos; uma área de carga e descarga e o centro de distribuição de materiais da Unifesspa.

Aquisições

O documento solicita a liberação de recursos federais para a aquisição de um ônibus articulado para o transporte de 3.350 alunos interligando a Cidade Universitária ao contexto urbano de Marabá. Outros recursos são necessários para a aquisição de equipamentos para os laboratórios e a aquisição de acervo bibliográfico para dezesseis novos cursos de graduação previstos para implantação na Unifesspa.

 (Fonte: Unifesspa)

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Associação dos Municípios do Araguaia, Tocantins e Carajás (AMAT-Carajás) assinaram um novo memorando de cooperação para promover condições dignas de trabalho no sul e sudeste do Pará. O acordo vai apoiar a criação de uma Agenda Regional de Trabalho Decente.

A Estratégia quer garantir o respeito aos direitos humanos e defender a igualdade no mercado de trabalho. A iniciativa de âmbito regional cobrirá 39 municípios — dos quais 38 são representados pela AMAT-Carajás. A associação irá apoiar a OIT durante o processo inicial de elaboração da Agenda, que envolve a realização de consultas públicas municipais.

Nesses encontros, os atores locais poderão conhecer a proposta de construção da Agenda. A estruturação da Agenda Regional de Trabalho Decente de Carajás começou em 2016, após a assinatura de um acordo entre a OIT, o município de Marabá e o Tribunal Regional do Trabalho da 8 ª Região, representado pela 2ª Vara do Trabalho de Marabá.

O trabalho decente, conceito formalizado pela OIT em 1999, sintetiza a sua missão histórica de promover oportunidades para que homens e mulheres possam ter uma ocupação produtiva e de qualidade, em condições de liberdade, equidade, segurança e dignidade humanas.

 

Iniciada na última terça-feira (30), encerra-se logo mais à noite, com uma programação cultural, a IV Semana de Recepção e Integração dos Calouros Unifesspa – Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará. São 1.100 novos alunos ingressantes, aprovados em 32 cursos de graduação oferecidos pela Instituição. A programação inclui palestras, mesas redondas, rodas de conversas, cinema, oficinas, serviços e atrações culturais.

Durante praticamente toda a semana, os alunos têm participado de campanhas solidárias como doação de sangue, arrecadação de donativos para o Lar São Vicente de Paulo, além de ações de reflorestamento ambiental, com plantio de árvores.

Este ano, o tema da calourada é “Universidade e Diversidade na Amazônia - pela (re)existência da educação pública”, destacando os valores da instituição, pautada pelo respeito à diversidade e pela defesa de uma universidade pública, gratuita e de qualidade.

A iniciativa visa recepcionar os estudantes ingressantes e colaborar com a integração desses com a comunidade acadêmica através de atividades educativas e culturais; além de apresentar a estrutura e serviços da universidade, bem como outras informações acadêmicas e políticas universitárias; e ainda contribuir para a construção de uma cultura universitária mais crítica e participativa.

Na avaliação do professor Amintas Lopes Júnior, da Faculdade de Educação do Campo, esse momento é fundamental para que os novos estudantes entendam que a vida acadêmica precisa ser muito mais do que uma formação profissional para inserção no mercado de trabalho. A ideia, segundo ele, é formar profissionais críticos, independente da área de formação.

 

O secretário municipal de Educação, Luciano Lopes Dias, participou do projeto Bate Papo Empreendedor, promovido pelo Conjove (Conselho de Jovens Empresários) de Marabá. O evento aconteceu no auditório da ACIM (Associação Comercial e Industrial de Marabá), sob o tema “Novos Rumos da Educação”.

Durante o bate papo, o secretário tirou várias dúvidas dos jovens empresários sobre investimentos na área de educação. Luciano Dias observa que havia um pedido implícito da categoria para que ele explicasse o que ocorreu, de fato, na aprovação das alterações do PCCR (Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Magistério), no mês de maio último.

Inicialmente, o titular da Semed apresentou um diagnóstico da educação no início deste ano, na mudança de governo, como estrutura física, número de servidores, IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), transporte escolar e merenda escolar. “Reconheci que este último item, merenda escolar, nos foi repassado com boa gestão, e tem sido mantido no mesmo padrão”, observa.

O titular da Semed também apresentou aos jovens empresários, de forma detalhada, as alterações que foram promovidas no PCCR, criando instrumentos de gestão dentro dele para que o governo não seja surpreendido com novas especializações, mestrados e doutorados, sem planejamento financeiro e orçamentário para que essas despesas fossem de fato cumpridas. “Evidenciamos, também, que o problema da educação não era, exclusivamente, o Plano de Carreira, mas sim um conjunto de ações equivocadas em relação à gestão como um todo na Secretaria de Educação. Mostramos que diante das mudanças que promovemos em várias áreas, não apenas no PCCR, iremos nos recuperar da crise financeira nos anos seguintes”.

Luciano Dias também evidenciou aos jovens empresários quanto de benefícios o governo do Estado do Pará paga para os educadores por meio do PCCR e quanto o município investia até aqui e passará a ofertar a partir de agora, sempre em condições melhores que os educadores da rede estadual.

Outro item que foi bastante debatido entre o secretário de Educação e os membros do Conjove foi o IDEB, discutindo como o índice que mede a qualidade de ensino pode influenciar positivamente em Marabá e como pode ser melhorado. Segundo Luciano Dias, é preciso fortalecer o ensino dos primeiros anos para tentar resgatar um aprendizado nesta etapa da vida acadêmica para que a aprendizagem funcional tenha efeito e as crianças cheguem ao ensino médio e sejam mão de obra de boa qualidade à disposição das empresas.

Os jovens empresários fizeram vários questionamentos ao secretário de Educação sobre gestão, transparência, e levantaram um debate interessante sobre qual impacto positivo na economia de Marabá pode ocorrer se Marabá tiver um IDEB ideal (alto), como ocorre no Ceará, que tem privilegiado a melhoria dos índices de educação há dez anos. “Entre as 100 melhores notas no Índice de Desenvolvimento da Educação no País, 77 estão em municípios daquele estado nordestino. Não temos respostas, ainda, para esse questionamento dos membros do Conjove, mas precisamos refletir sobre isso”, diz Luciano Dias.

Na avaliação do secretário de Educação, iniciativas como esta do Conjove devem continuar a acontecer para que a Prefeitura esclareça quais são as ações de governo previstas e que podem impactar de forma positiva na economia local.

(Fonte: PMM)

Na trigésima primeira edição, a Exposição Agropecuária de Marabá, que vai de 8 a 16 de julho, no Parque de Exposições da cidade, promete movimentar a economia da região. A programação abrirá oficialmente com a Grande Cavalgada, no dia 8, e já estão confirmadas mais de 30 comitivas.  Para animar o público diário, em média de 10 mil visitantes, estão agendados shows das atrações: Márcia Felipe, Jorge e Mateus, DJ Jesus Luz, Pablo, Otávio Vip, Sacode, Banda Som e Louvor (Gospel) e também um infantil. A Expoama 2017 deve superar a marca de 300 expositores, já que esse número deve crescer até o início da feira. Além disso, o público também contará com prova de marcha, oito leilões e ciclo de palestras.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Marabá, Antônio Vieira Caetano, a estimativa desse ano é que sejam movimentados entre 30 a 35 milhões de reais. “Se não superarmos, vamos igualar a movimentação do ano passado, já que a quantidade de expositores está aumentando, algumas empresas que não vieram em 2016, confirmaram presença”, concluiu o presidente do SRPM.

Além do sorteio de oito motocicletas e um automóvel, outra novidade esse ano é que será cobrada taxa no estacionamento do Parque de Exposições, que disponibiliza três mil vagas. O Sindicato Rural garante que o valor será padronizado e de baixo custo, já que o intuito é apenas ajudar na manutenção do espaço.

E para garantir que a Exposição Agropecuária de Marabá seja ainda melhor, nesta quinta-feira, dia 08 de junho, na sede do Sindicato Rural, foi realizada a reunião de definição do esquema de segurança do evento, principalmente da Cavalgada que reúne mais de dois mil participantes.  Além do presidente do Sindicato e outros membros da diretoria, estiveram presentes vários representantes de órgãos de segurança e fiscalizadores como Polícia Rodoviária Federal, Departamento Municipal de Trânsito, Polícia Civil, Exército, Conselho Tutelar, Procon, Sindicato dos Moto-taxistas, Conselho de Jovens Empresários de Marabá, ONG Focinhos Carentes e Secretarias de Saúde e de Agricultura.

O chefe de Policiamento da Polícia Rodoviária Federal em Marabá, Nivaldo Silva, afirmou que a Operação Expoama 2017 já começou a ser planejada e que a meta desse ano é reduzir para zero o número de acidentes. Ele destacou que a fiscalização será redobrada para evitar infrações durante a Cavalgada.  Já o diretor do Departamento Municipal de Transito Urbano, Jocenilson Silva, também garantiu apoio ao evento. Ele ressaltou que a atuação do DMTU durante a Cavalgada se dá principalmente na VP-8 e que para garantir a segurança será disponibilizado todo o efetivo. A delegada Simone Felinto, diretora de Polícia Administrativa (DPA), solicitou que, em casos de locação de espaços para festas particulares com utilização de palcos, as autorizações devem ser solicitadas o quanto antes junto à Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Corpo de Bombeiros e Polícia Civil.

Devido a Cavalgada ser um evento aberto ao público, Laís Oliveira e Fátima Mutran, presidente e vice da ONG Focinhos Carentes, solicitaram uma parceria das autoridades no sentido de orientar e fiscalizar os participantes da Cavalgada acerca de maus-tratos com animais, como excesso de pessoas em cima de carroças.  

Durante a reunião, foi feita a entrega oficial das premiações do concurso do Baile da Rainha Expoama, realizado no último dia 03, no tatersal do parque. A Rainha Expoama 2017, Wynne Costa, ganhou uma motocicleta modelo BIS. A primeira princesa Lynda Sousa e a segunda princesa Jaquelynne Nascimento, ganharam respectivamente cheques nos valores de R$1.500,00 e R$1.000,00.

 (Fonte: Ascom)

Dentro dos próximos 30 dias a Caixa Econômica Federal deverá oficializar a volta da linha de crédito para os pecuaristas e produtores rurais através da Superintendência em Marabá. A volta do financiamento, suspenso há mais de um ano, contou com o empenho do deputado fazendo constantes intervenções junto a presidência do banco atendendo apelos dos pecuaristas, empresários, vereadores, prefeitos, comerciantes e produtores rurais.

A partir da liberação do crédito Beto Salame lembra que o produtor agrícola, o pecuarista, o agropecuarista podem voltar a obter recursos junto a Caixa para estimular a produção com a possibilidade do aumento do plantio e a geração de emprego comemorando que “a iniciativa da Caixa na retomada do financiamento vai fazer o setor produtivo a sonhar com dias melhores de empregos no Sul e Sudeste do Pará”

A confirmação da retomada do financiamento foi feita pelo próprio presidente da Caixa ao deputado Beto Salame durante reunião na manhã desta terça-feira, 23, com a participação do vice-presidente, Fábio Lenza, e a gerente executiva da Assessora Parlamentar da Caixa, Julieta Martins. O presidente, Gilberto Ochhi, firmou compromisso com o deputado que assim que o Governo Federal anunciar o Plano safra 2017 ele irá a Marabá junto com o Ministro da Agricultura conversar com prefeitos, vereadores, produtores, pecuaristas, empresários e com o poder público da região. Beto Salame agradeceu dizendo estar “na expectativa que aconteça em breve”.

(Da: assessoria do deputado Beto salame)

A promotora de Justiça de Marabá Mayanna Silva de Souza Queiroz, reuniu com representantes das Centrais de Regulação da Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) e da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) para tratar sobre o fluxo de atendimentos de pacientes que demandam serviços de ginecologia de alta complexidade.

A promotora de Justiça Mayanna Queiroz explicou que houve uma reunião em junho de 2016 com a regulação do município de Marabá, onde a Sespa e a Pró-Saúde deveriam realizar estudo a respeito da ocupação dos leitos de obstetrícia de alto risco e possibilidade de uso parcial dos mesmos para ginecologia de alto risco, diante da demanda existente na região, porém o modelo atual para atendimento não está em funcionamento, pois o Hospital Regional deverá oferecer o serviço, podendo haver um convênio para cessão dos médicos.

A enfermeira Zelinda Moraes, coordenadora de regulação do Hospital Regional de Marabá disse que atualmente não possui o serviço de ginecologia, apenas o de obstetrícia. "Quanto aos outros municípios, já existe uma pactuação no que se refere a alguns serviços de saúde, mas que a situação deverá ser colocada a nível de Comissão Intergestora Regional (CIR), que acontecerá em julho", informou.

Ao final da reunião ficou definido que a Secretaria Municipal de Saúde de Marabá deverá fazer um levantamento da demanda atual de pacientes de ginecologia de alto risco, enquanto que a regulação do Hospital Regional entrará em contato com os demais municípios para levantar demanda.

“Após levantamento, será requisitado que a Sespa se manifeste acerca da possibilidade de inclusão do serviço de ginecologia de alto risco com a utilização de leitos de obstetrícia, considerando a baixa ocupação. Deverá também levar a discussão para a reunião da CIR, uma vez que todos os municípios do regional estão descobertos”, disse a representante do MPPA.

Participaram da reunião a coordenadora do Departamento de Regulação da Secretaria Municipal de Saúde de Marabá Cybelle Bergmen, a médica reguladora da Sespa Tatiane Carvalho, a enfermeira coordenadora da Regulação do Hospital Regional Zelinda Lima Moraes, e o chefe da Doca (Divisão de organização, controle, avaliação, auditoria e regulação), André Gustavo Pereira.

(Fonte: MPPA)

 

Nesta terça-feira, 6 de junho, é celebrado o Dia Nacional do Teste do Pezinho. Ofertado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o exame ajuda a diagnosticar e tratar precocemente doenças que afetam o desenvolvimento de crianças, uma delas a anemia falciforme, que é a forma mais grave da doença falciforme que acomete mais de 30 mil brasileiros.

No Hospital Regional do Sudeste do Pará - Dr. Geraldo Veloso (HRSP), desde novembro de 2016, o serviço é disponibilizado às crianças que, por complicações no parto, ficam internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica. Em sete meses, cerca de 40 bebês foram beneficiados com o exame no HRSP.

Para o diretor-geral, Valdemir Girato, a coleta dentro da unidade facilita o acesso ao serviço, uma vez que muitas dessas crianças, dependendo do caso, permanecem por semanas na instituição, passando do período ideal para realização do exame, que é após as primeiras 48 horas de vida até o quinto dia. 'Garantir que a coleta seja feita na própria unidade contribui para a qualidade de vida dessas crianças, pois direciona para o tratamento precoce de doenças que podem trazer sérios problemas para o seu desenvolvimento mental e físico', afirmou o administrador.

Doenças

O Teste do Pezinho é um dos exames de triagem neonatal mais conhecidos. Ele é feito a partir da retirada de uma amostra de sangue do calcanhar do bebê. No Hospital Regional de Marabá, a coleta é feita por servidores da Secretaria Municipal de Saúde de Marabá, beneficiando crianças dos 22 municípios referenciados pela unidade, que é gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública.

Dentre os diversos problemas de saúde que podem ser identificados a partir do exame, destacam-se a anemia falciforme, a fenilcetonúria, o hipotireoidismo congênito e a fibrose cística. Entenda cada uma delas.

Anemia falciforme: é uma doença hereditária caracterizada pela alteração genética na hemoglobina, proteína que ajuda no transporte do oxigênio pelo corpo. Pode causar intensas crises de dor e problemas como úlceras e acidente vascular cerebral.

Hipotireoidismo congênito: ocorre quando a glândula tireóide não é capaz de produzir quantidade adequada de hormônios tireoidianos, influenciando os processos metabólicos. Após o primeiro mês de vida, essa deficiência já pode causar lesão neurológica na criança.

Fenilcetonúria: também é uma doença genética, causada pela deficiência de uma enzima do fígado, que transforma a fenilalanina em outro aminoácido. O problema pode provocar lesão cerebral e deficiência mental.

 

Fibrose cística: também conhecida como doença do beijo salgado, é a patologia genética grave mais comum na infância. É caracterizada pela produção de secreções mais espessas que o habitual, levando ao acúmulo de bactérias e germes nas vias respiratórias e danos aos pulmões e pâncreas.

(Fonte: HRSP)

Por meio da página oficial do município, o prefeito Tião Miranda informa aos servidores de todas as secretarias, que na sexta-feira, dia 26, será creditado nas contas o salário referente ao mês de maio. A forma antecipada do pagamento é em função da data pré-determinada pela gestão para creditar os vencimentos, dia 28, ser num domingo.

A folha de pagamento é a prioridade máxima da gestão atual e além de impulsionar o comércio local, com a injeção de R$ 14 milhões de reais, devolve ao servidor a credibilidade. Vale lembrar que o pagamento da folha é feito de forma a pagar, conforme manda a lei, todos os encargos tributários, consignados, previdência e outros tributos aos quais o servidor tem descontado no seu contracheque.