Ainda dá tempo de concorrer às vagas disponibilizadas pelo Mais Bolsas, programa de bolsas de estudo que concede descontos de até 50% para estudantes interessados em ingressar no ensino superior. Em Marabá, há vagas para diversos cursos de graduação e pós-graduação, na modalidade a distância (EAD), em faculdades da rede particular de ensino.

“O Mais Bolsas trabalha em prol da inserção de alunos no ensino superior, por meio da concessão de bolsas de estudo em todo o Brasil. Há muitos que anseiam ingressar em uma faculdade, centro universitário ou universidade e que, por falta de condições financeiras, não conseguem custear uma mensalidade total”, revela José Araújo, gerente do programa.

Os interessados em concorrer a uma bolsa de estudo podem se inscrever no www.maisbolsas.com.br, onde é possível escolher o curso e a instituição de ensino pretendida. Havendo vaga disponível, o candidato poderá ser aprovado de imediato.

Mais informações ou dúvidas podem ser adquiridas nos canais de atendimento, SAC ou central de atendimento, nos números 4007-2209 (capitais e regiões metropolitanas) ou 0800 002 5854 (demais localidades).

 

O Departamento Municipal de Trânsito e Transporte Urbano (DMTU) e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PA) firmaram parceria para a realização de um Curso Especializado para Mototaxistas e Motofretistas e outro de Formação de Agentes Multiplicadores em Educação Para o Trânsito.

As inscrições abrem nesta quinta-feira (18) e, assim como os cursos, são gratuitas. Uma equipe do Detran estará de plantão na sede do DMTU até sexta-feira (19) para receber os primeiros formulários. Contudo, as inscrições poderão ser feitas até o dia 30 deste mês.

O objetivo do curso para mototaxistas é qualificar condutores que ainda não possuem esse tipo de instrução. O curso terá carga horária de 30 horas e emissão de certificado, sendo um dos critérios para que o condutor receba a concessão para trabalhar na área. Serão ao todo 90 vagas, as aulas devem ocorrer em apenas um turno que ainda será definido pela Coordenadoria de Educação do Detran.

Já o curso para agentes multiplicadores tem como público alvo os professores das redes municipal e estadual de ensino, e tem como objetivo formar instrutores para a realização de novos cursos. Este terá carga horária de 25 horas, também com emissão de certificado e disponibiliza ao todo 40 vagas.

De acordo com Leusiane Bastos, agente de Educação do Detran, uma equipe de 25 pessoas está trabalhando para a realização das capacitações que são iniciativa da Coordenadoria de Educação do Detran Pará. Além disso, esses cursos são uma extensão da Semana Nacional do Trânsito, que ocorrerá entre os dias 18 e 25 de setembro deste ano.

Para preencher o formulário de inscrição basta procurar a sede do DMTU, de segunda a sexta-feira, no período de 8h às 14h, munido de original e cópia da Carteira de Habilitação; RG; CPF; comprovante de residência, certidões negativas de infrações de trânsito e antecedentes criminais. Para realizar a inscrição nos cursos é necessário ainda ter mais de 21 anos, possuir CNH A, sendo que a CNH não pode ser permissão.

Para mais informações, os interessados podem ligar no 3322-1021. Os cursos serão realizados simultaneamente no período de 26 de setembro a 1º de outubro próximo. (Fonte: Ascom/PMM)

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), anualmente são registrados 270 milhões de acidentes de trabalho no mundo. Mais de 1 milhão desses casos acontecem no Brasil, sendo uma das principais causas o descumprimento de normas básicas de proteção, como o uso de equipamento de proteção individual. Com o intuito de conscientizar colaboradores e prestadores de serviço sobre a importância do trabalho seguro e os riscos de doenças ocupacionais, de 25 a 29 de abril, o Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, realiza a 8ª Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (SIPAT). A programação foi aberta pela Banda do Exército, que animou colaboradores e usuários na tarde desta segunda-feira (25).

Para o diretor geral do HRSP, Valdemir Girato, dada a natureza do ambiente hospitalar, a prevenção e o treinamento contínuo da equipe são essenciais para reduzir os riscos de acidente na unidade. “O hospital tem 498 colaboradores que se dedicam a cuidar de pessoas e, por isso, estão expostas a riscos. Conscientizá-las sobre a importância do cuidado pessoal e com o próximo no ambiente de trabalho, sem dúvida, ajuda a evitar situações inseguras”, comentou o administrador. 

O envolvimento de todos os colaboradores na prevenção de acidentes foi reforçado pelo técnico de Segurança do Trabalho, James Moura, na palestra de abertura da 8ª SIPAT. Ele usou a linguagem do futebol para mostrar que segurança se faz em equipe. Como o jogador de meio de campo, que faz o passe para a equipe fazer o gol, o funcionário prudente está atento à segurança de todos, não apenas a sua, porque sabe que o resultado é do time. “Cerca de 80% dos acidentes de trabalho estão relacionados a comportamentos, portanto, poderiam ser evitados”, relatou o palestrante.

As principais causas de acidentes são descumprimento de procedimentos, falta de capacitação para determinada tarefa, acesso a locais proibidos, desrespeito à sinalização e uso de álcool e outras drogas.

A operadora de caixa Maria Valda Vieira, de 49 anos, acompanha um amigo em tratamento no hospital. Ela participou da abertura da SIPAT e comentou que o encontro foi bastante proveitoso. “Se as regras de segurança não são obedecidas, as pessoas sofrem, e não é apenas o trabalhador, é a família inteira. Em casa e no trânsito também deve ser assim. Melhor obedecer a sacrificar”, argumentou a acompanhante.

O auxiliar administrativo do Hospital Regional de Marabá, Valteir Silva, diz que a família é sua motivação maior para o cuidado no ambiente de trabalho. “Eu não estou sozinho. Tenho uma esposa e dois filhos que dependem de mim. Penso neles sempre”, afirmou o colaborador.

Programação

Até a próxima sexta-feira (25), outros temas serão debatidos na 8ª Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho do HRSP, como a prevenção de acidentes com motocicletas. Atualmente, cerca de 70% dos leitos do Hospital Regional de Marabá são ocupados por vítimas de acidentes de trânsito, sendo que os motoristas de moto são a maioria. Entre 2013 e 2015, o número de motociclistas atendidos no hospital foi nove vezes maior que o de vítimas de acidentes de carro, excluindo pedestres e ciclistas.

Também fazem parte da programação palestras sobre doenças sexualmente transmissíveis, bem-estar no trabalho, acidentes com materiais perfurocortantes, primeiros socorros e combate a princípio de incêndio.

O Hospital Regional do Sudeste do Pará é administrado pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

A Prefeitura de Marabá retomou a pavimentação da Avenida Pará, no Bairro Santa Rosa, Núcleo Pioneiro. Na primeira etapa, no segundo semestre de 2013, a via teve cerca de 800 metros pavimentados em concreto industrial, depois de ter recebido drenagem, a fim de evitar que o pavimento pudesse ser deteriorado por ocasião das enchentes do Rio Tocantins. Diferentemente do asfalto, o cimento tem muito mais resistência à àgua das enchentes.

Agora, no trecho final, de aproximadamente 400 metros da avenida, onde o antigo asfalto estava desaparecendo, a capa asfáltica está sendo toda removida e ali também será feita drenagem e, logo em seguida, colocado novo asfalto. Outro detalhe é que o leito da rua será elevado em 20 centímetros para também evitar alagamentos.

Nesta quarta-feira (15), será realizada a imprimação da rua, procedimento que antecede à implantação da capa asfáltica. Também estão recebendo drenagem e pavimentação ruas dos bairros Araguaia, Nossa Senhora Aparecida, Laranjeiras e Bom Planalto.

Seu Francisco Gomes da Silva, de 54 anos, ficou entusiasmado ao ouvir o som do grupo Canta & Cura nos corredores do Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, no último domingo,14/8. Deitado no leito, sem poder se mexer porque usava um colete cervical, o empresário esperou ansioso até que os voluntários entraram na enfermaria onde ele está internado há duas semanas. Quem podia sair dos quartos, rapidamente se posicionou nos corredores das clínicas Cardiológica e Cirúrgica, para conferir o que estava acontecendo.

Acompanhados pela psicóloga da unidade, Patrícia Oeiras, e pela coordenadora de Humanização, Karla Luz, os voluntários traziam mensagem de otimismo para os pacientes que comemoraram o Dia dos Pais longe de casa. Os pais usuários foram fotografados no domingo e serão presenteados nesta quarta-feira, 17/8, com um porta-retrato com a foto.

“Dou nota 1000 para essa ação, pois me senti realizado, mesmo que meus filhos não estejam aqui agora. Isso traz alegria, incentivo para melhorar e tirar pensamento negativo porque, de certa forma, dentro de um hospital, a gente se sente preso”, afirmou Francisco Gomes, que é pai de 17 filhos.

Embora não seja pai, o paciente Daniel de Sousa Franco também foi homenageado durante a ação, pois estava completando 17 anos no domingo. “Achei bom demais. Foi uma forma diferente de comemorar meu aniversário”, disse o morador de Curionópolis.

A unidade

Público e gratuito, o Hospital Regional de Marabá é referência em atendimento de média e de alta complexidade para mais de 1 milhão de pessoas em 22 municípios. A unidade possui 115 leitos, dos quais 77 são de internação clínica e cirúrgica e 38 são de Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Sua gestão é feita pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

 


Será no sábado (30) o “Dia D contra a Influenza” em Marabá. Aproximadamente 60 pontos de vacinação estarão à disposição do público. O público-alvo dessa vacinação é composto de crianças de seis meses a cinco anos de idade; indígenas de todas as idades a partir de seis meses; gestantes; puérperas; indivíduos com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (prescrição médica); a população privada de liberdade; e os funcionários do sistema prisional.

Além dos pontos de vacinação, a Secretaria Municipal de Saúde, por intermédio da Divisão Extra Muro, disponibilizará uma unidade volante de vacinação. Aquele setor também estará responsável pela imunização no abrigo de idosos, Lar São Vicente de Paulo, na Folha 06 (Nova Marabá) e na Escola do Jardim União. (Texto e Fotos: João Batista da Silva/ Ascom/PMM)

Depois de passar pelo Bairro Morada Nova, a Prefeitura de Marabá, por meio da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU), iniciou pelo Bairro Amapá a segunda etapa do programa de regularização fundiária Minha Casa Legal.

O “Minha Casa Legal” atenderá de forma gradativa os bairros da cidade até 2016, com regularização fundiária de interesse social e os demais tipos de legalização, cumprindo as metas estabelecidas pelo PLHIS (Plano Local de Habitação de Interesse Social), de forma itinerante.

O Programa, executado em parceria com o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), leva também aos bairros serviços da Secretaria de Gestão Fazendária (Segfaz), Secretaria de Indústria Comércio, Ciência, Tecnologia e Mineração (Sicom), Secretaria de Serviços Urbanos (Semsur), Sistema Nacional de Emprego (Sine) e Hemocentro Regional de Marabá (Hemopa).

Além da regularização fundiária, o “Minha Casa Legal” oferece projetos arquitetônicos para famílias de baixa renda, com atuação dos alunos voluntários do curso técnico de Agrimensura e de Edificações desenvolvendo atividades técnicas, no processo de extensão tecnológica.

A população do Bairro Amapá, será atendida até o dia 24 de julho, no horário das 8h30 às 12h00, na Escola “Basílio Miguel”.

Durante os dias de programação a equipe da SDU estará emitindo boletos aos moradores interessados na regularização de seus imóveis e após a programação, com no máximo 20 dias, estarão recebendo os títulos de suas propriedades.

“Vale registrar que essa data, 24 de julho, pode ser prorrogada, dependendo da necessidade”, disse Alisson Oliveira, assessor de Comunicação da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU).

 

Programação

14/07: SICOM–Orientação e formalização de MEI (Microempreendedor Individual) – 8h30 às 12 horas.

15/07: SDU/IFPA/SEGFAZ

16/07: Semsur: Palestra gerenciamento de resíduos – 9 horas

17/07: Hemopa: Palestra-Doação de Sangue – 10 horas

Sine:  Cadastro do Trabalhador (levar CTPS, RG e CPF)

Encaminhamento ao trabalho com as vagas disponíveis.

Requerimento de Seguro desemprego – 8h30 às 12 horas

20/07: SDU/IFPA/SEGFAZ

21/07: SICOM– Orientação e formalização de MEI (Microempreendedor Individual) – 8h30 às 12 horas

22/07: Saci: Importância da documentação – Horário 10h30

23/07: SDU/IFPA/SEGFAZ

24/07: Sine: - Cadastro do Trabalhador (levar CTPS, RG E CPF)

 Encaminhamento ao trabalho de acordo com as vagas disponíveis.

 Requerimento de Seguro desemprego –  8h30 às 12 horas

 

Pode ser votado nesta quarta-feira (9) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) projeto que modifica o Código Penal (Decreto-Lei 2.848/1940) para tipificar o crime de exploração de trabalho infantil.

De acordo com a proposta (PLS 237/2016), apresentada pelo senador Paulo Rocha (PT-PA), será considerado crime explorar, de qualquer forma, ou contratar, ainda que indiretamente, o trabalho de menor de 14 anos.

O texto, no entanto, não classifica como uso de trabalho infantil o serviço realizado em âmbito familiar, como uma ajuda aos pais, desde que feito fora do horário escolar e de forma compatível com as condições físicas e psíquicas do menor.

Em emenda apresentada ao projeto, a relatora, Simone Tebet (PMDB-MS), propõe que a punição para quem contratar trabalho infantil seja pena de reclusão de dois a quatro anos, mais multa. O autor previa pena mínima de um ano de reclusão.

A relatora também quer que esteja sujeito à mesma pena “aquele que permite o trabalho ilegal de criança e adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância”.

Se o trabalho for noturno, perigoso, insalubre ou penoso, a pena passa a ser de dois a oito anos de prisão, mais multa, além da pena correspondente à violência.

Simone Tebet propõe ainda explicitar que não haverá crime no trabalho artístico infantil devidamente autorizado por autoridade competente, exceto quando for perigoso ou insalubre, hipótese em que serão aplicadas as penas previstas no projeto.

O projeto será votado em decisão terminativa na CCJ. Se aprovado, poderá seguir diretamente à Câmara dos Deputados, se não houver recurso para votação em Plenário.

A reunião da Comissão de Justiça está agendada para 10h, na sala 3 da Ala Alexandre Costa, no Senado.

Com apoio e articulação da vereadora de Belém, Sandra Batista, o secretário municipal de Saúde de Palestina do Pará, Sezostrys Alves da Costa, foi recebido na Coordenação Estadual do Programa Luz Para Todos, na sede da Eletronorte, em Belém, onde o engenheiro coordenador, Luiz Fernando Garliza, prestou as informações relativas dentro do que está previsto no programa para Palestina.

Conforme documentos do Programa, Palestina do Pará teve até agora, apenas 276 ligações realizadas pelo programa, que foram efetuadas até março de 2007, e desde lá, não mais houve obras do programa no município.

Mediante as decisões do Comitê Gestor do Programa, datado de 12/07/2013, haverá apenas 30 novas ligações pelo Programa Luz Para Todos na 5ª Fase das obras vigentes, que deverão ocorrer no PA Rio Mar.

As demais solicitações de implantação e ampliação de redes e ligações novas precisam ser contempladas nos próximos contratos de realização de obras do Programa, que deverá ocorrer no 2º semestre de 2015 ou início de 2016.

“É importante centrar forças e articulações políticas, que mesmo tendo o esforço do prefeito Valciney Gomes, todo e qualquer apoio é bem vindo e ajudará a mudar a realidade de vida de dezenas de famílias que residem nos Assentamentos do nosso Município”, afirmou Sezostrys.

Ainda segundo ele, é necessário aprovar e prever os recursos para a realização dessas obras junto ao Comitê Gestor do Programa, que é coordenado pela Eletronorte aqui no Estado do Pará e é composto pela CELPA, ALEPA, FETAGRI e outros segmentos sociais organizados. Suas decisões são coletivas e com base em orçamento disponível.

 

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) lançou neste mês de julho o aplicativo "Anatel Consumidor", que permite ao consumidor registrar e acompanhar, em celulares e tablets, reclamações contra as prestadoras de telecomunicações.

A ferramenta também permite o registro e o acompanhamento de sugestões e pedidos de informação e conta com uma seção destinada a tirar as principais dúvidas sobre direitos do consumidor por meio de Perguntas Frequentes.

A informação foi repassada por Jader Santos, presidente da Associação Nacional de defesa dos consumidores de Energia Elétrica e Telecomunicação (Anacel).

O aplicativo está disponível para os sistemas Android, iOS (Apple iPhone) e Windows Phone e pode ser baixado nas lojas de aplicativos de forma gratuita.

Com o aplicativo, a Anatel espera não apenas tornar o registro de reclamações mais intuitivo e fácil para o consumidor, como também se adequar às novas tendências de atendimento, que indicam que consumidor tende a substituir os canais tradicionais, como call centers, por meios digitais.

Quando um consumidor registra uma reclamação na Anatel, ela é encaminhada para a prestadora que está sendo reclamada. A empresa tem, então, cinco dias úteis para dar uma resposta ao consumidor. Embora não trate de forma individual as reclamações, a Anatel cobra das prestadoras o cumprimento dos prazos e analisa, por meio de amostras selecionadas aleatoriamente e estatisticamente válidas, a qualidade das respostas das prestadoras.

Além de acompanhar como as prestadoras atendem o consumidor, a Anatel também monitora quais são as principais razões que levam o consumidor a buscar seus canais de atendimento. Com base nessas informações, planeja ações de fiscalização, acompanhamento e controle, e até mesmo mudanças nas regras do setor.

 

A Escola Família Agrícola (EFA) Padre Humberto Pietogrande, de Marabá em parceria com Instituições de Ensino Superior (IES) e órgãos que atuam na Educação do Campo, a saber: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA – Campus Rural de Marabá); Universidade Federal do Pará (UFPA - Centro de Educação – Belém), Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA), Universidade do Estado Pará (UEPA- Campus de Marabá), Secretaria Municipal de Educação de Marabá (SEMED) e Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado Pará (EMATER – PARÁ) realizaram nos dias 04 e 05 de agosto de 2016, uma série de diálogos visando à construção de um Projeto de Pesquisa: “a história da EFA Marabá no contexto do desenvolvimento no Sul e Sudeste do Pará”.

Propõe como objetivo geral: compreender o processo de estruturação organizacional da EFA, no sentido de perceber as injunções e disjunções com a dinâmica de desenvolvimento no contexto do Sul e Sudeste do Pará.

Vale lembrar que esta ideia do projeto foi lançada no Seminário: história, desafios e perspectivas da Pedagogia da Alternância, por ocasião da comemoração de 20 anos da EFA, em março de 2016.

Considerando João Batista Begnami e Luiz Silva Peixoto (2013, p. 264). O grupo está encarando a pesquisa como: “não é um olhar de fora apenas. Pode até ser. Tem sido por muito tempo. Vários acadêmicos já escreveram sobre nossas experiências. Reconhecemos o valor dessas pesquisas, porém, acreditamos que temos que avançar no processo. Não queremos se apenas objeto de análise. O que precisamos é desafiarmo-nos mutuamente a elaborarmos nossos conceitos, nossos saberes, nossas teses, não a partir das teorias acadêmicas, mas além dessas, do fazer cotidiano de cada CEFFA, com suas múltiplas realidades, na ação política e organizativa de cada associação local, regional e nacional, na ação efetiva dos nossos egressos e estudantes; em suma, tornando-nos assim, agentes e sujeitos das pesquisas e da construção coletiva de saberes e fazeres”.

O Fórum Regional de Educação do Campo do Sul e Sudeste do Pará (FREC) realiza plenária ampliada  com educadores/as, lideranças dos movimentos sociais para analisar de conjuntura e definir ações de lutas em defesa da Educação do Campo. Será dia 12 de agosto de 2016, no auditório da  UNIFESSPA (Campus I – Folha 31).

 

Passar dias ou até meses internado em um hospital é uma experiência das mais angustiantes para qualquer pessoa. E só a o apoio e a presença dos amigos e familiares, além dos profissionais de saúde e voluntários, ajuda o paciente o doente a se sentir mais confortado. Proporcionar estado de acolhimento e apoio é uma das metas do Grupo de Trabalho e Humanização do Hospital Regional do Sudeste do Pará Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá.

Na terça-feira (14), por ocasião do Dia do Enfermo, os pacientes internados nesse hospital gerido pela Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar – Pró-Saúde, sob contrato coma Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) participaram de momentos de descontração, brincadeiras e ouviram palavras de conforto graças a uma parceria do HRSP com o grupo católico de música e teatro “Anjos da Graça”, da Igreja Católica.

Jovens divertidos e comprometidos com o amor ao próximo visitaram os leitos levando mensagem de fé, proporcionando momentos de descontração aos pacientes e seus acompanhantes. A rigor, é um tratamento alternativo chamado de “risoterapia” e “musicoterapia”.

Além do tratamento hospitalar que recebem, os pacientes aprovam esse tipo de atividade. “Só tenho coisas boas para dizer: pois quando cheguei aqui fiquei numa tristeza muito grande, mas agora consigo sorrir novamente, graças a essas pessoas maravilhosas”, Meg de Oliveira Pereira, paciente internada há quase dois meses.

Com níveis de aprovação acima de 90 por cento, o hospital proporciona, com esse tipo de atividade, possibilidades de atenuar o sofrimento de pacientes e acompanhantes. “Desde a entrada no hospital, na portaria, até os médicos, o atendimento tem sido diferenciado, aqui; e a presença dos ‘Anjos da Graça’ nos dá mais força ainda”, afirma Karine dos Reis Leal, que acompanha a prima, internada no HRSP.

Segundo a enfermeira Karla Luz, coordenadora do Grupo de Humanização do HRSP, a avaliação de impacto das atividades realizadas no Dia do Enfermo, nos anos anteriores, indica que os usuários ficam mais ativos, motivados e falantes; apresentam evidências clínicas de melhora e aceitam com mais facilidade os medicamentos e se alimentam melhor.

“O Dia do Enfermo chama todos os profissionais de saúde, familiares e amigos dos usuários a redobrarem o carinho e o afeto, uma vez que, para se reabilitarem, os indivíduos necessitam muito mais que métodos técnicos e medicamentos. Prova-se que o bem estar psicológico e mental é imprescindível para uma recuperação menos dolorosa e mais rápida”, afirma Karla Luz.

 

Na tarde desta sexta-feira (10) aconteceu na Secretaria Municipal de Saúde a assinatura de Ordens de Serviço para a construção de mais duas Unidades Básicas de Saúde (UBS) em Marabá: uma no Bairro Araguaia, na Nova Marabá; e outra no Bairro da Paz, no Núcleo Cidade Nova.

A obra do Bairro Araguaia é do Tipo Dois, com uma estrutura de grande porte e receberá um investimento de R$ 966.364,16; já a do Bairro da Paz é Tipo Um, de estrutura mediana e está orçada em R$ 726.915,13, ambas serão construídas em parceria com a mineradora Vale, como condicionante pela implantação da Siderúrgica Aços Laminados do Pará (Alpa) na cidade.    

Segundo o secretário de Saúde Nagib Mutran Neto, a nova unidade do Bairro Araguaia – antiga Invasão da Fanta - atenderá também os moradores do Nossa Senhora Aparecida – antes Invasão da Coca-Cola - e os loteamentos próximos, além de desafogar o atendimento na UBS Mariana Moraes, no Bairro Quilômetro 7, Nova Marabá. “Assim como a do Bairro da Paz [ex-Invasão da Lucinha], que garantirá melhor atendimento aos usuários daquela região”, complementa Nagib.

As novas unidades de saúde contarão com equipes do Programa Saúde da Família (PSF), o qual levará atendimento de casa em casa. “Uma forma de melhorar a qualidade de vida do nosso povo”, ressalta o secretário.

O líder de projetos da Vale, Rodrigo Coji, falou também da importância de mais uma obra em parceria da mineradora com a prefeitura. “Essa parceria vem dando certo, proporcionando desenvolvimento da nossa cidade e diminuindo as carências existentes”, disse.

Ricardo Coelho, proprietário da empresa Exagon Construções e Serviços Ltda., responsável pela obra, informou que a equipe da empresa irá trabalhar com duas frentes de serviço, cada uma em uma unidade.

“O prazo é de seis meses para a entrega dessas unidades de saúde. Além disso, me sinto honrado por ser filho de Marabá e tocar essa obra tão importante para o município”, destacou ele.

A construção das duas unidades de saúde em bairros originados de ocupações representa o cumprimento de mais uma promessa do prefeito João Salame. O prefeito ressalta que em seu governo tem procurado levar atendimento de infraestrutura, educação, saúde e assistência social, entre outros, a bairros periféricos que antes da atual administração tinham pouca ou nenhuma atenção do poder público.

Parcerias

Além dessas duas novas Unidades de Saúde, também estão sendo executadas em parceria com a Vale, a reforma e ampliação das UBS dos bairros Liberdade e Laranjeiras. Também resultado dessa união foi construída a Unidade de Saúde da Família “Carlos Barreto”, em Morada Nova, inaugurada no último dia 30 de abril. (Fonte: Ascom/PMM)