O Círio de Nossa Senhora de Nazaré, realizado em Marabá, sudeste do Pará, no último domingo (16), reuniu mais de 200 mil pessoas, que participaram dos mais de 7 km da procissão do Círio, saindo da Marabá Pioneira, até o Santuário de Nazaré

, na Folha 16, Nova Marabá. O balanço é da organização do evento, que atrai devotos de várias cidades e é considerado um dos maiores do estado. Foram várias as homenagens a Nossa Senhora de Nazaré pelas ruas da cidade. Durante o percurso de quatro horas, demonstrações de fé, devoção e agradecimento à padroeira dos paraenses.

O Círio em Marabá acontece sempre no terceiro domingo do mês de outubro. O tema do Círio 2016 em Marabá para este ano foi “Maria, ajudai-nos a viver a misericórdia”. Este ano, o ponto negativo é que não ocorreu a Romaria Fluvial, que se realiza no sábado que antecede a caminhada. A imagem é embarcada no balneário das Mangueiras e segue até a Velha Marabá pelo Rio Tocantins, mas este ano, como o nível do rio está muito baixo, essa parte da festa religiosa foi substituída por uma Romaria Rodoviária.

O bispo diocesano de Marabá, Dom Vital Corbellini está há quatro acompanhando o Círio em Marabá, sendo o primeiro ano como convidado e os três últimos na coordenação e avalia como extraordinária a fé do povo católico paraense. “É algo inexplicável, algo muito bonito. Eu gosto demais do Círio, é uma coisa que me aquece o coração, do povo de Deus. É a fé do povo, que nos une, une a cidade, une as pessoas à Deus e nós temos que estimular sempre mais essa grande festa”, enfatizou.

 

Localizado em posição estratégica, o município de Marabá tem condições geográficas e certa infraestrutura que podem lhe permitir sobreviver à crise econômica e ainda se colocar num patamar de destaque no cenário nacional. A projeção otimista é alicerçada em algumas situações importantes vividas atualmente no município: a chegada de novos empreendimentos no setor da indústria e comércio, o comportamento do comerciante de Marabá diante da crise brasileira e o agronegócio que envolve desde o grande até o pequeno produtor.

Desde o ano passado que este cenário vem se desenhando, conforme avaliação do empresário Marcelo Almeida, ex-secretário de Indústria, Comércio e Mineração do município. Segundo ele, empreendimentos como a Correias Mercúrio, com geração de 200 empregos diretos, são exemplos disso.

E já este ano, Marabá ganhou uma unidade da Raízen, que inaugurou as atividades do terminal de distribuição de combustíveis, com o apoio da Companhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (CODEC), disponibilizando o portfólio de produtos diferenciados da marca Shell e garantirá importante infraestrutura para o desenvolvimento da região.

“O investimento em Marabá faz parte de um plano estratégico de longo prazo da Raízen de investir na interiorização de combustíveis por modais mais eficientes: no caso de Marabá, a ferrovia de Carajás foi duplicada e liga este projeto que estamos inaugurando a outro em construção, em São Luís-MA, o que propicia importante nível de serviço para nossos parceiros e atrai novos revendedores Shell na região”, afirma Nilton Gabardo, diretor de Desenvolvimento de Novos Negócios e Infraestrutura da Raízen.

Por outro lado, no ramo de supermercados, pelo menos duas empresas já adiantaram sua implantação na cidade, o grupo Líder de Belém e o Carrefour, de São Paulo. A previsão do Líder é gerar cerca de 650 empregos.

Existe ainda a expectativa de grandes projetos desenvolvimentistas para Marabá e região, como a Fepasa, Cevital, Hidrovia Araguaia-Tocantins e Hidrelétrica de Marabá. A futura estrada de ferro (Feapasa) deve ligar áreas de extração de minerais e de produção agrícola a um porto a ser construído no município de Colares, ao norte de Belém, passando pelo porto de Vila do Conde, em Barcarena. A Cevital, empresa argelina, pretende investir em Marabá nas áreas de logística e no agronegócio.

Página 1 de 2